Translate

sexta-feira, 16 de abril de 2010

O Centro Espírita

Há anos atrás, quando íamos ao Centro Espírita sentíamos como se estivéssemos infringindo alguma lei. Como se estivéssemos em desacordo, ou desabonados em alguma coisa, nos sentindo desconfortáveis quando abordados sobre esta questão.
Passaram-se algumas décadas e hoje a abordagem é completamente diferente.
Buscamos a Casa Espírita como medida preventiva para as mais variadas situações.
São os problemas de relacionamentos, desajustes familiares, doenças não diagnosticadas, fatos que se repetem a nossa revelia, sem que possamos entendê-los, depressão, dificuldade com as crianças, e muito mais.
E lá vamos nós para a Casa Espírita.
Somos recebidos com calor humano, nos sentimos bem vindos, através do carinho da atenção, gostamos do que vemos, ouvimos e vamos ficando. Tudo parece melhorar em nossas vidas, conosco mesmo, e podemos continuar freqüentando a igreja, o culto, pois o Espiritismo não faz *proselitismo e nós colocamos então na nossa lista de medicamentos e remedinhos, os recursos que a Casa Espírita nos oferece.
A fluidoterapia, a palestra, as informações consoladoras.
È meus amigos esse é um dos estágios de aprendizado de nossa fé.
É a sementinha que o semeador saiu a semear, caindo nos mais variados terrenos.
Mas para outros corações movidos pela dor intensa do problema obsessivo, pelos desequilíbrios mediúnicos, pelos processos cármicos dolorosos que despertam através da dor, a porta da Casa Espírita, é a “Porta de Damasco” onde a oportunidade da revelação espiritual do encontro com Jesus é o momento de cura em suas vidas.
E esse momento passa a ser um marco divisório entre o ontem o hoje e o amanhã, não sendo mais possível viver como antes, pois tudo agora é diferente como aconteceu com Paulo o apóstolo.
É como se nós tivéssemos as respostas feitas às indagações não respondidas. È como se nós percebessemos através da sensibilidade dos sentidos um mundo novo de sentimentos e emoções que preenchem o vazio de nossa alma e do nosso coração, não nos sentindo mais sós, mas plenos, tendo um outro sentido de vida.
Sentindo-nos fortalecidos na fé e no amor, valorizando a oportunidade de viver e aqui estar.
Descobrindo-nos, e descobrindo Jesus como mestre amoroso.
Medida preventiva, recursos de vida, renovação interior, à escolha de cada um neste convite inesperado, renovado, na carinhosa voz que nos diz:
Porque você não vai à Casa Espírita, acho que você está precisando!

*Proselitismo= Convencer alguém a se converter nas suas idéias e crenças

domingo, 11 de abril de 2010

A cada um segundo suas obras - A Determinação


Quem de nós não passa por dificuldades?
Seja no cotidiano ou em nossas vidas de uma maneira geral.
As dificuldades são situações que ainda não aprendemos a resolver !
Elas nos pedem conhecimento, coisa que só a vivência prática capacita.
Há uma longa caminhada a ser realizada por nós. Ela se chama sabedoria.
Para as coisas do mundo íntimo, na relação com o outro, ou em nossa de visão do mundo, precisamos nos aprimorar.
Poderíamos afirmar que existe somente uma pessoa que não possui problemas - aquela que não está comprometida consigo mesma, com o outro, com a vida!
Entre as quais não nos incluímos, pois queremos aprender a superá-los, então estamos dentro da dinâmica que a vida propõe.
Para superar as dificuldades é necessário “ determinação”.
Construir a própria vida, com responsabilidade exige trabalho.
Há um esforço dispendido para enfrentar as vicissitudes nessa construção.
E não deve ser feito aleatoriamente mas com precisão amorosa, distinção de valores, definição de padrões, tendo um propósito. Isso é determinante para fazer a diferença. E isso depende de nós.   
“A cada um segundo as suas obras” Mateus 16:27
Nesse trecho do Evangelho percebemos a responsabilidade que nos cabe perante a Lei Divina nessa construção. De acordo com o esforço empreendido estaremos mais próximos ou mais longe do programa a ser alcançado.
Fomos criados simples e ignorantes por Deus nosso Pai:, mas dotados de aptidões..
Aptidões são faculdades da alma a serem desenvolvidas. São os talentos de que o Evangelho nos fala.
Ao desenvolvê-las (amor,inteligencia,livre arbítrio) encontramos sabedoria, o que evita o sofrimento e a dor.
Através do livre arbítrio fazemos escolhas. As escolhas geram consequências .
As consequências geram discernimento. O discernimento cria uma escala de valores que determina a conduta moral, o comportamento da criatura, demonstrando o nível de progresso realizado.
Nós caminhamos nessa trajetória que se chama evolução.
Uns caminham rapidamente, celeremente, com determinação. Outros lentamente, morosamente, levando séculos. Estacionam nas inferioridades, como a preguiça, a acomodação, a indiferença, os vícios, o desamor.
Preguiça de sair da acomodação em que está, ampliando seus limites. Porque é muito mais fácil achar um culpado por isso: Deus, a sociedade, o marido, filhos, sogra, alguém ao invés de ter que contar consigo mesmo e perceber que pode falhar, tendo que assumir a responsabilidade ou seja, ter que olhar para sí mesmo e ver que fracassou, ter que observar que existe uma realidade a ser cumprida para cada um de nós e que não adianta fantasiarmos ou seja; esperando que os problemas desapareçam.
Se estamos doentes precisamos nos cuidar não adianta postergarmos.
Se precisamos parar de beber, comer devido a saúde, ajamos com determinação para alcançar o objetivo.
Precisamos superar o medo do fracasso, o medo de assimilar coisa novas, superar indecisões, desilusões.
O erro é o primeiro estágio de conhecimento. Errando também se aprende.
Acreditar dá trabalho! Pede verificação, experimento, trabalho no campo da esperança, mas traz alegria e satisfação.
Por isso Jesus fala: - “A cada um segundo suas obras “.
O mérito ou demérito de nossa felicidade pertence única e exclusivamente a nós.
Muitos valores estão confusos hoje em dia. Muitas vezes ouvimos falar : Eu vou a luta !. Querer é poder ! Voce tem de buscar o que quer !. Vá lá e tome o que é seu !
Temos que aprender a separar o joio do trigo. O desejo nos liga às coisas materiais.
A vontade que é determinação do espírito imortal nos liga à construção no campo do bem através do discernimento, atingindo sabedoria.
O bem é tudo que está de acordo com a Lei de Deus.
O mal é tudo que se afasta da lei de Deus. A Leis de Deus estão na consciência do homem.
Fazer o bem é se integrar a essa Lei. Fazer o mal é infringi-la.
Deus nos dá a inteligência para discernir e Jesus nos dá a medida certa dizendo: "Não façais aos outros o que não quereis para ti."
Por isso saibamos canalizar a determinação para o bem, construindo nossa felicidade e consequentemente a felicidade ao nosso derredor..
Para o homem insulado, acomadado, não há vícios ou virtudes, pois presevando-se do mal anula assim o bem ou progresso a ser alcançado.
Não sejamos como Emannuel nos diz,  "autores de obras mortas através do arrependimento".
Quantos não têm um ideal, não constroem seus sonhos, não realizam nada. Aí o tempo passa e vem o arrependimento, do que deveria ter sido feito e não foi.
Precisamos acreditar em Jesus quando ele diz, que para que tenhamos vida, ''vida em abundância'', precisamos agir, construir no campo do bem, fazendo, errando, acertando.
Determinação é força interior  manifesta.
Vontade resoluta, forte, acompanhada de uma inabalável fé que nos capacita a encontrar conhecimento, sabedoria, esperança, tendo novos recursos de vida!.
Começar de novo em qualquer circunstância: na perda de um ente querido, uma doença, um revés financeiro, uma nova formação profissional.
Determinar-se nos relacionamentos, sendo honesto, respeitoso, fiel, discreto.
Cuidar-se em todos os aspectos, educação, higiene, saúde,respeito, amor etc.
Jesus era determinado, encontrou inúmeras dificuldades para estabelecer sua obra mas perseverou até o fim. Era um espirito luminescente. Sua luz foi adquirida pelo próprio esforço, iluminando também nossos caminhos.
Que nossa existência possa ser como a "candeia viva" onde as experiências amealhadas possam ser compartilhadas, iluminando a todos nós.Como diz Huberto Rohden:
- “O homem crístico é por dentro de Deus e por fora, de todas as criaturas de Deus“





BIBLIOGRAFIA:
O Céu e o Inferno -Primeira parte cap.III, item 6
Fonte Viva - lição 81 e 83
Caminho Verdade e Vida -lição 3e 4
Justiça Divina -Lei do Mérito