Translate

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Lei do Progresso - II Marcha do Progresso - Livro dos Espíritos cap.VIII



"Sendo o progresso uma condição da natureza humana ninguém tem o poder de se opor a ele.Ele é uma força que as más leis podem retardar, mas não asfixiar.Quando essas leis se tornam incompatíveis com o progresso ele as derruba com todos que a querem manter,e assim será até que o homem harmonize  as suas leis com a Justiça Divina,que deseja o bem para todos e não as leis feitas para o forte em prejuízo do fraco.
O homem pode permanecer perpetuamente na ignorância, porque deve chegar ao fim determinado pela Providência: ele se esclarece pela própria força das circunstâncias.
As revoluções morais ,como as revoluções sociais se infiltram pouco a pouco nas idéias e germinam ao longo dos séculos e depois explodem subitamente  fazendo ruir o edifício carcomido do passado,que não se encontra mais de acordo com as necessidades novas e as novas aspirações.O homem geralmente não percebe,nessas comoções,mais do que a desordem e a confusão momentâneas que o atingem nos seus interesses materiais mas aquele que eleva seu pensamento acima dos interesses materiais  admira os desígnios da Providência,que do mal fazem surgir o bem.São a tempestade e o furacão que saneiam a atmosfera,depois de a haverem revolvido. Cap.VIII – Lei do Progresso  - Livro dos Espíritos"

A movimentação das massas humanas segue o fluxo e o refluxo das necessidades coletivas e individuais do Espírito Eterno.
Grandes contingentes de energia criativa e criadora quando menosprezadas, delegadas, esquecidas, sufocadas, ao longo do tempo na intransigência da movimentação improdutiva,  qual água estagnada fomenta pouco a pouco doenças que contaminam o organismo já incipiente em si mesmo. Restabelecer a saúde faz parte do mecanismo biológico.Mas para isso temos de utilizar  medicação adequada.
O trabalho construtivo, é o medicamento silencioso e preventivo para restaurar a saúde.  
Ser produtivo  beneficiando a  si, a coletividade significa estar inserido no contexto da Evolução.Aprender, desenvolver, evoluir faz parte do progresso do "ser", através das Leis Naturais que são as Leis de Deus.
Mas para todo procedimento há metodologia adequada, pois as contingências que trazemos de um passado delituoso jaz em nosso inconsciente profundo, mesmo como coletividade, emitindo energias ainda não controladas por nós.
Necessário se faz que desenvolvamos os talentos, mas, para isso utilizemos da Pedagogia do amor e da paz, sendo construtores de um mundo melhor.
Qual o caminho para a paz , perguntaram a Gandhi. E ele disse  : - A paz é o caminho.
Na inexorável linha do tempo os movimentos das massas, das coletividades refletem suas conquistas no campo social, São conquistas que  no poder da ação conjunta encontram forças para mudanças. Precisamos estar atentos, pois essas conquistas surgem ao clamor da angustia e desespero, do sofrimento e dor.
Esse deve ser um momento de auto controle, e não de desesperação, para que não venhamos fragilizá-lo, perdendo-o pelo jugo da força de outrem ou pelo nosso retrocesso.
O exemplo de um  “aprendizado” real é o que se espera dessa coletividade. Que ela possa realizar modificações, demonstrando que elas existem a partir de si mesma.
Dar a outra face, mostrar o outro lado da moeda, ante a opressão é o que se almeja daqueles que buscam novos rumos.
Precisamos separar o joio do trigo, isso se faz com boa vontade e perseverança.
Acreditamos no homem, na busca pelos seus anseios de bem estar e liberdade, pois é intrínseco as suas necessidade mais profundas, pois somos filhos de Deus.
Poder expressa-las deixando-as ao sabor do sol das mudanças faz com que se reinicie
o movimento da vida, que é fluxo e refluxo neste  planeta,  assim como nesta terra bendita que tem palmeiras onde canta o sabia.



Canção do exílio –Antonio Gonçalves Dias

"Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar - sozinho, à noite -
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu'inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá."

quinta-feira, 13 de junho de 2013

" Não nos deixeis cair em tentação tentação "


Historiadores nos contam, que em tempos idos, intrépidos navegadores planejavam longas viagens rumo ao desconhecido. Esses navegadores tomavam muitas precauções principalmente quando em mar alto ou próximos a alguma ilha,pois acreditavam existir sereias, e as sereias seduziam os homens, fazendo-os perecer e as embarcações sucumbirem.
Tapavam os ouvidos e os olhos dos marujos, as vezes confinando-os no porão, mantendo ao leme alguém mais velho, amadurecido,  enrijecido  na árdua luta contra o mar. Assim se evitaria este processo de sedução exercida pelo canto das sereias, que trazia a tona os desejos mais secretos das criaturas, que não distinguindo entre o real e o ilusório muitas vezes atiravam-se ao mar num estado  de fascinação, devaneios, vindo a perecer. 
Nos dias de hoje já não há necessidade  dessa  intrepidez dos  navegadores cuja ação era movida pelo heroísmo.  O homem com sua Ciência e Tecnologia  desbravou todos os espaços ao seu redor, até mesmo o espaço exterior.
Hoje os heróis estão na mídia das comunicações, navegando o infomar.
Mas nós podemos mesmo assim sermos viajores, navegando o mar da vida.
Navegando não ante o desconhecido, mas ante o desconhecimento de nós mesmos .
Desbravamos  tudo ao nosso derredor, mas ainda falta descobrir  nosso mundo íntimo 
E nesse navegar , ouvimos cantos de sereias.Dependendo da faixa etária, dos momentos difíceis pelos quais estamos passando, ou dos momentos inertes vazios onde o vento forte não sopra,e a calmaria nos retêm a retaguarda,cedemos as seduções ou as tentações  do caminho
O que é a tentação?
-  É um  desejo veemente,atrativo para algo proibido.Um movimento íntimo que incita ao mal.
No antigo testamento há um profeta que diz assim :
- “ Quando o homem pensar no mal , ao piscar o olhos já pecou “.
Ele nos fala do poder do pensamento,  que se expressa nos sentimentos que o homem traz no coração, e que quando emitido carrega a vibração boa ou má do conteúdo que traz em si. mesmo.  Assim quando pensarmos no mal, imaginando-o , desejando-o a outrem , o que é tão rápido como um piscar de olhos,estaremos expressando as emoções em que nos comprazemos e que envolvem a nossa alma, canalizando-a para o foco de nossas atenções.
Pensamento é vida a se expressar num átimo, num segundo. retornando posteriormente a seu emissor.
As vezes sorrimos ao imaginarmos algo acontecendo a alguém de nosso desafeto. Isso demonstra que existe ainda em nós um fundo mau, perverso, ignorante.E nada mais assustador  do  que a ignorância em atividade.
Há pois a necessidade de transformação da criatura , de crescimento , amadurecimento espiritual
O campo dos desejos é sempre relativo a posse  das coisas materiais.  Pelo poder,riqueza,beleza.
 Quantas vezes somos tentados por aquela vozinha interior.
- Se eu fizer isso ninguém vai ficar sabendo !
-   A vida é assim uns ganham, outros perdem.
 Eu só quero me divertir um pouco , afinal ninguém é de ferro
- Tomar partido pra que ? O que eu ganho com isso ?
Esses sentimentos permeiam nosso coração
São momentos  de tentações  que ocorrem nos incitando para atitudes erradas.
Mas podem ser momentos preciosos de transformação, libertação, se soubermos usá-los, estando atentos e vigilantes quanto ao nosso mundo interior. Contrapondo-se a esses desejos, a " Vontade", essa faculdade da soberana da alma, surge exatamente dos  embates  entre o espírito e a matéria. Pois os  "desejos"  nos escravizam, a e a "Vontade"  faz com que o Espirito possa dominar a matéria como tão bem apregoa o Espiritismo,libertando-se.
Em Mateus 6: 13 esse convite esta expresso.
“Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal”
Se formos verificar os capítulos antecedentes a esse, verificaremos que no capitulo 4, Jesus está no deserto onde passa por variadas tentações, no capitulo 5 temos como resultante todas as Bem- Aventuranças, e no capítulo 6, o modo de nos subtrairmos a elas, ou seja  a importância da prece. E no versículo do capítulo 6 aprendemos o Pai Nosso, e o 13º  é exatamente esse: - “ Não nos deixeis cair em tentação, mas livra-nos do mal.’
Só há um caminho para isso, superar as inferioridades colocando valores reais  em nossa alma. 
O apostolo Paulo diz que esquecemos porque aqui estamos.
"Nós somos os soldados de Jesus que estamos em batalha aqui na terra , e que nessa batalha somos atacados pelo mal em todos os flancos, e para isso precisamos nos armar  com uma couraça, e um capacete evitando assim a vulnerabilidade desses pontos vitais."
Esse capacete e essa couraça deverão ser tecidos com os fios da fé, da coragem e da perseverança.
Nós sabemos que um homem é limitado não pela cor da pele da raça,mas pelo tamanho da esperança em seu coração. Assim trabalhemos meus irmãos para essa transformação. Não fechando os olhos, ou tapando os ouvidos para não ouvir o ´"canto das sereias", mas ocupando nossos pensamentos com valores autênticos. Ouvindo-as ao longe mas tendo forças para não sairmos de nossa trajetória, enrijecidos pela prática do amor e do bem como nos diz o  Evangelho de Jesus.