Translate

sábado, 21 de abril de 2012

Religião ou Religiosidade ?


Dizem que espírita tem mania de ler.
Mas o Sr. Kardec nos deixou um legado precioso quando diz:
“Espíritas amai-vos e instrui-vos.”
È melhor rejeitar 99 verdades do que aceitar uma mentira.
E nós lemos bastante é verdade. Estudamos, pesquisando nas obras básicas da Codificação elementos de entendimento.Afinal quando se fala de fé tudo parece tão subjetivo.
E o que desejamos ? Desejamos estabelecer que nossa fé seja real, verdadeira, inserida no tempo, na ciência. Queremos ter entendimento para consentimento não só do coração, mas da razão.
Quando criança, fui  educada segundo os preceitos da religião de meus pais, e não havia espaço para duvidas ou questionamentos pois tudo era taxativo, dogmático.
È assim e pronto!
- Mas mãe que historia é essa de três em um?
-Não discuta menina você está duvidando de Deus?
-E claro que não!
E para ficarmos “em paz” com Deus, e com a mãe, não discutíamos mais.
Eram outros tempos. Hoje as pessoas nem se preocupam com a religião, ou de dar educação religiosa para os filhos, e muitas vezes assistimos situações como essa na qual presenciei uma senhora de 92 anos contando que precisou ensinar seu bisneto a orar, quando com medo, ele disse ver pessoas que não são visíveis para os outros.
Seu bisneto é bem jovem, 16 anos, mas por incrível que pareça, o medo era tanto que ele  achou boa idéia orar.
-Mas perguntou : - Como orar?
-Reze o Pai Nosso!
-Mas eu não sei.
- Então eu te ensino.
São extremos de uma situação que persegue há muito o ser humano.
Hoje não temos a obrigatoriedade da religião imposta, mas também não temos conhecimento algum das coisas que transcendem a matéria.
Diria alguns : - Falta de religião!
Falta de educação para a religiosidade.
Pois há grande diferença entre religião e religiosidade
A religiosidade é sensibilidade. È a condição psíquica do homem  se religar ao Criador,através da Natureza,do Cosmo,Universo,com o outro,consigo próprio.
È encontrar a essência divina que habita seu ser.
È não sufocar o impulso para o infinito que jaz em nós através da consciência divina.
È estar em sintonia com a Lei Natural, através da pratica do amor.
A religião é um sistema de crenças e dogmas. É instituição, acordo social, edifício teórico, organização hierárquica, atividade política.
Ela pode ser uma escolha e um caminho para a religiosidade, um meio para a pessoa entrar em contato com a Divindade.E acaba sendo importante na medida em que facilita essa ligação.Mas religiosidade é a tendência natural do individuo que traz em sua genética espiritual a paternidade divina . È intuição!
Herculano Pires esclarece que esse sentimento se estrutura na consciência humana no ser em evolução, sendo que a marca de Deus ali está presente na Lei de Adoração, que é o sentimento inato de sua filiação Divina e se manifestará no sentimento religioso, base de todas as experiências religiosas da Humanidade
 A vivência religiosa, pelo simples fato de ser vivência e não reflexão é inerente ao Homem desde o seu aparecimento no Planeta”. A experiência de Deus que começa no “Fiat” como elemento ontogenético (elemento constitutivo da própria gênese do homem) difere da religiosa, que constituem uma tomada de tentativa de consciência de Deus através de formulações religiosas, rituais, Instituições, sistemas litúrgicos, ordenações dogmáticas. “
O que não podemos jamais esquecer é que o sentimento de "religiosidade" não deve se afastar da prática na vida do homem, pois se isso acontecer, ele perde a noção de quem é, do que está fazendo aqui e todos os seus valores desaparecem com seus atos, tornando-o “des-Humano".
 Situar-se como ser humano perante o mundo é adequar-se ao amor e respeito, que vige em toda obra da Criação e conseqüentemente todos os seres que a habitam, pois eles se sintonizam, refletem, buscando similitude para integração e harmonia.
È sensibilizar –se paulatinamente para a convivência com o outro . Para os limites que nos detém, que devemos respeitar, e que nos  disciplinam.Juntamente com os direitos pelos quais lutamos, para nos sentir livres e seguros.
Tudo isso está implícito no processo de Educação, ou auto educação do ser humano. Nas experiências e vivencias da religiosidade.
-Ora, porque será que estou vendo espíritos?
È então  estabelecida a necessidade de auto descobrimento, auto conhecimento,auto educação. Você questiona, busca caminhos, mas tem de percorre-lo para provar sua veracidade.
Por vezes,somos observadores das demonstrações das Leis Naturais que regem o Universo e não despertamos para isso.
São os “sinais de Deus”como Meimei nos fala.È o homem ante sua necessidade de espiritualização.
Precisamos orar para deixar de ver aquilo que é inexorável ?  Sejam os espíritos ou a sensibilidade de intuir sobre as vidas sucessivas.
Não deixemos por conta do sofrimento e da dor o despertamento que se faz necessário.Utilizemos o tempo da presente reencarnação a nosso favor.
Eduquemos nossos sentimentos modificando nossas ações .
Afinal qual a religião do Cristo?
O sentimento de amor, fraternidade , solicitude entre todos os homem.