Translate

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Aos jovens de Santa Maria


O  blog Pátria Espirita  deixa aqui seu profundo pesar pelos acontecimentos ocorridos na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul onde numerosas famílias perderam seus entes queridos.
Nossos pensamentos em oração buscam a sintonia com o Criador para  paz e entendimento.
Nosso respeito mais sincero a todos por esse momento de dor.


Um bando de avezinhas
No céu fizeram pouso
Vieram de longínquas distâncias
Buscando repouso

Vieram a chamado do Criador
Embora da Terra distante
Ouvia-se um brado de muita dor

Mas no Céu as avezinhas
foram recebidas,
E acolhidas
Com muito amor

Corações amigos as esperavam
E as recepcionaram
Com  cânticos de louvor

Cânticos que falavam
De duras batalhas
por elas vividas
Antes da mortalha

Cumpria-se assim
Aprendizado, evolução
Progresso, quitação

Por isso saibamos
Não perdemos ninguém
Apenas a Deus,
Os entregamos

Para que agora em seu jardim
Onde flores havia
Haja também as avezinhas
Perecidas em Santa Maria



mapa_santa_maria_boate (Foto: Editoria de Arte / G1)

O maior desastre da história do Rio Grande do Sul, o segundo incêndio em número de vítimas no Brasil. O país amanheceu de luto, chocado com a morte de duas centenas de jovens, numa contagem que se revelava mais dramática à medida que as horas do domingo avançavam. No fim da noite, de acordo com números oficiais, havia 231 óbitos confirmados no incêndio da boate Kiss, em Santa Maria, cidade a 320 quilômetros de Porto Alegre.

domingo, 27 de janeiro de 2013

A Raiva


Coração agitado,respiração alterada,um calor que vai subindo pelo corpo congestionando a face.É assim que nos sentimos quando estamos numa crise de raiva.
As vezes uma fechada no trânsito,uma discussão no trabalho ou em família, uma palavra ofensiva,tudo isso é motivo para sermos pegos na armadilha da raiva.
Depois vem um sentimento de: -- eu não devia ter dito isso.
Ou então : -- eu não devia ter deixado acontecer novamente ; ou seja um mal estar, um sentimento de culpa. 
Para nós a raiva é um sentimento primário,que aprendemos a sufocar, pois: - é muito feio ficar raivoso! - as pessoas não vão gostar mais de você ! 
É isso que aprendemos quando crianças.
Com certeza a raiva é uma emoção primária, negativa, a qual devemos estar atentos para não despejarmos sobre os outros a todo instante.Mas ela também deve ser reconhecida e elaborada por nós,pois quando mal canalizada pode fazer muito mal a saúde.
“Segundo os pesquisadores, um acesso de fúria é capaz de elevar o ritmo cardíaco, a pressão arterial e a produção de testosterona, além de aumentar o nível de cortisol e intensificar a atividade do hemisfério esquerdo do cérebro. “A raiva ‘engolida’ é nociva à saúde. Essa situação pode estimular a liberação de adrenalina, elevar o cortisol (hormônio do estresse) e predispor o indivíduo a problemas circulatórios, hipertensão arterial e reações somáticas”, explica  Iraci Galias “ ( Psiquiatra e analista junguiana )
A palavra raiva vem do latim "rabia"  e em sua origem quer dizer doença.
Em algumas situações ela é até pertinente pois, assegura uma energia para nos defender ou evitar abusos.
É muito diferente senti-la em alguns momentos e guardá-la, sem saber como se livrar dela.
Mas sua constância ou seja, alguém de humor irritadiço constantemente, fala de baixa auto estima, de relações interpessoais tempestuosas e de muito estresse.
Tenha calma ! Relaxe ! Vai pescar!
São as frases que ouvimos e que não colabora com a situação sem controle a que estamos afeitos.Por isso se faz necessário tomar medidas urgentes para modificar comportamentos.
Reflita, e avalie se é algo que você traz dentro de si a muito tempo? 
Algum trauma no passado, ou situação mal resolvida ?
È frustração,insegurança,timidez, em relação a algo ao alguém que lhe faz sentir ameaçado em algumas circunstâncias ?
São as preocupações ou focalização excessiva nos problemas pessoais?
Você reage exageradamente em todas situações?
Ou você é agressivo, arrogante, o que faz com que você já comece respondendo agressivamente a quem lhe faz uma pergunta.
Você se melindra facilmente ? Está sempre procurando um culpado para tudo?
Quantas perquirições sobre nós mesmos se quisermos melhorar nossa vida e nossas relações.
Definitivamente precisamos nos conhecer melhor !
E quando isso acontecer, quanto poderemos fazer, mudando nosso comportamento.
È o processo de auto educação que iniciamos quando conscientes de nossas necessidades. Precisamos implantar a paz,buscando espiritualização, recuperando a   saúde e a felicidade. Sejamos mediadores da paz.
Somos espíritos eternos muito erramos e sofremos nas precedentes reencarnações. Trazemos no perispírito, no campo emocional, registros dos desatinos vivenciados,  causadores dos débitos do passado pelos abuso da emoção.
Trabalhemos nossos sentimentos nesse presente momento através do Consolador Prometido que nos fala da Justiça Divina e da Providencia Misericordiosa de Deus nosso Pai.  - Não estamos sós ! 
Amigos espirituais velam por nós e nos ajudam a combater nossas vicissitudes se formos sinceros.Oremos e vigiemos para não cairmos em tentação.
O pensamento é vida e atrai por afinidade pensamentos semelhantes.
Trabalhemos o bem através da caridade, o belo através do olhar,o bom nos pensamentos, o justo nas atitudes.Nos deixemos impregnar pela presença de Deus em nós, aprendendo a emitir a vibração de paz e amor de nosso coração , e todas as coisas se modificarão em  nosso derredor. Teremos o necessário equilíbrio para todas as horas,contornando as situações com assertividade ,tendo mais confiança e segurança em nós mesmos.
E em vez de “RAIVA “ poderemos * “AVIAR “ melhor nosso dia a dia,e consequentemente nossa vida.



Aviar/sinônimo - aprontar,expedir,despachar,desembaraçar 


Em Conflitos existenciais Joanna de Ângelis fala: 

“A raiva é um sentimento de desajuste da emotividade, que merece continua vigilância, a fim de não se transformar em uma segunda natureza na conduta do indivíduo.”
“... A incidência da raiva, portanto é perfeitamente normal, tornando-se grave a não capacidade de administrá-la.”

O livro dos Espíritos diz:
"Toda paixão que aproxima o homem da natureza animal distancia-o da natureza espiritual
Todo sentimento que eleva o homem acima da natureza animal anuncia o predomínio do Espírito sobre a matéria e o aproxima da perfeição" 




Darwin e Freud

Não há dúvidas que esses dois autores influenciaram o modo que o ocidente e a antropologia percebe e estudas as emoções humanas.
Charles Darwin em 1867 para pesquisa sobre a das emoções que faz parte do seu livro “A expressão das emoções no homem e nos animais elaborou um questionário que foi aplicado por homens letrados (missionários, naturalistas, cônsules e outros funcionários do governo inglês) para pesquisar as emoções através de expressões e gestos inatos (instintivos) ou adquiridos por convenção na infância.
Esse questionário, que segue abaixo, foi aplicado entre os seguintes povos (nas seguintes quantidades) entre os aborígines da Austrália (13); Maoris da Nova Zelandia (1); Daiaques de Bornéu (1); Malaios em Malaca (1); China (1); Índia (Bombain, Calcutá) e Ceilão (3); Cafres, Fingos, Abissínios e nativos do Nilo na África do Norte (4); Fueguinos (Terra do Fogo) na América do Sul (1); Atnah, Espiox (rio Nasse no Noroeste), Tetons, Grossventers, Mandans, Assinaboines (Oeste) da América do Norte (6).
1.Exprime-se a surpresa pelo arregalar dos olhos e da boca e pela elevação das sobrancelhas?
2.A vergonha produz enrubescimento, quando a cor da pele permite percebê-lo? Se sim, até onde este desce pelo corpo?
3.Quando um homem está indignado ou desafiador, ele franze o cenho, mantém a cabeça e o corpo erguidos, apruma os ombros e cerra os punhos?
4.Quando se concentra ou tenta resolver algum problema, ele franze o cenho ou enruga a pele debaixo das pálpebras inferiores?
5.Quando abatido, desce os cantos da boca e eleva a extremidade interna das sobrancelhas pela ação desse músculo que os franceses apelidaram de “músculo do sofrimento”? Nesse estado as sobrancelhas fazem-se levemente oblíquas, com um pequeno inchaço em sua extremidade medial; e o meio da testa fica enrugado, não em toda sua extensão, como quando se elevam as sobrancelhas exprimindo surpresa?
6.Quando satisfeito, brilham seus olhos, enruga-se a pela em volta destes e retraem-se os cantos da boca?
7.Quando um homem olha para outro com desprezo ou ironia, ergue-se o canto do lábio superior por sobre o canino do lado pelo qual ele o está encarando?
8.Pode uma expressão de obstinação e tenacidade ser reconhecida principalmente pela boca firmemente fechada, pelo cenho baixo e pelas sobrancelhas levemente franzidas?
9.O desdém é exprimido por uma leve protusão dos lábios e discreta expiração com o nariz empinado?
10.Manifesta-se o nojo virando o lábio inferior para baixo e elevando-se o lábio superior com uma súbita expiração, como um vomitar incipiente ou cuspir?
11.O medo extremo é expresso aproximadamente da mesma maneira que fazem os europeus?
12.O riso pode chegar ao extremo de fazer com que lacrimejem os olhos?
13.Quando um homem quer demonstrar que não pode impedir algo ou que ele mesmo não consegue fazer alguma coisa ele, encolhe os ombros, vira para dentro os cotovelos e estende as mãos para fora com as palmas abertas; e as sobrancelhas são erguidas?
14.As crianças quando emburradas, fazem bico ou contraem fortemente os lábios?
15.Expressões de culpamalícia ou ciúme podem ser reconhecidas, ainda que não se consiga defini-las?
16.Balança-se a cabeça verticalmente na afirmação e horizontalmente na negação?
Recebeu trinta e seis respostas donde concluiu, a partir das informações adquiridas, que um mesmo estado de espírito exprime-se ao redor do mundo com impressionante uniformidade e assinala ainda que esse achado evidencia a grande similaridade da estrutura corporal e da conformação mental de todas as raças humanas. (Darwin, (1872) 2000)



Antropologia das emoções é uma linha teórico-metodológica da Antropologia que lida com a categoria analítica emoção como objeto de análise. Os estudos da emoção desde os finais do século XIX começo do século XX tem sido objeto de análise da psicologia e fisiologia. Entre os primeiros estudos de caráter antropológico das emoções podemos incluir diversas obras de Sigmund Freud e Marcel Mauss
No Brasil, neste campo analítico o conceito de emoção é apreendido, segundo Guilherme Marques, como uma categoria "de entendimento capaz de apreender a noção de humano e de sociedade como um todo, e em sua obra discute as consequências metodológicas de uma pesquisa sobre emoção nas inter-relações sempre tensas entre indivíduo social e sociedade".
A Antropologia das emoções é uma linha analítica que, na atualidade, vem atraindo um número crescente de especialistas, pesquisadores, estudiosos e leitores no mundo e, no Brasil, em particular. É, segundo o autor citado, enfim, um campo de reflexão que "tem procurado revigorar a análise (antropológica) introduzindo perspectivas novas e importantes da grande questão interna (das ciências sociais)em geral, (...) que é a problemática da intersubjetividade".





Aprendi através da experiência amarga a suprema lição: controlar minha ira e torná-la como o calor que é convertido em energia. Nossa ira controlada pode ser convertida numa força capaz de mover o mundo.
Mahatma Gandhi





domingo, 13 de janeiro de 2013

" A Porta estreita" - A auto superação


Biografias, noticias  em jornais e revistas trazem informações sobre a vida de pessoas que foram marcadas por tragédias profundas, e que chamam a atenção pelo modo com que responderam às dificuldades se tornando  admirados.
Essas pessoas em seu cotidiano trazem lições para cada um de nós pois servem de exemplo de auto superação.
Não são poucos os casos célebres.
Christopher Reeve ficou tetraplégico em um acidente de cavalo e se tornou ativista dos direitos dos deficientes, criando, a Fundação Christopher Reeve para a Paralisia.
O iatista Lars Grael, mesmo depois de perder a perna direita em um acidente, continuou velejando e profere palestras sobre superação.
Temos assistido o esforço continuo de pessoas das mais diferentes crenças e ideologias que se empenham diariamente para sobreviver ao câncer.
A Psicologia que estuda o comportamento do ser humano diz que diante de um conflito, as pessoas costumam agir de duas maneiras: Ou fazem disso um aprendizado, ou reagem com estresse e desgaste. A maioria das pessoas não se volta para a saúde, para o bem-estar e sim, para a doença, para as frustrações.Por isso nos chama a atenção esses casos de auto superação vividos por outras pessoas.
Em nossa vida sempre  encontramos algo a ser transposto.
Desde o nascimento, até nossa”retinas ficarem fatigadas”  como diz o poeta alertando que no meio do caminho tinha uma pedra.
Sempre há algo a ser transposto.A vida é dinâmica não para nunca, e nós devemos nos adaptar.Somos seres altamente adaptáveis. Deus nos fez assim.
Muitas pessoas ficam paralisadas ante desilusão profunda, ante a falta de perspectivas de solução. Precisamos aprender a lidar com problemas, superar obstáculos, resistir às situações adversas, acreditando na nossa capacidade de enfrentamento.
Ter fé em Deus e em nós mesmos é o primeiro passo.
Nossa atitude permanente na auto superação nos fortalece .
Esse é um processo de educação.Essa  educação começa no lar,em tenra idade, aprendendo a vencer os obstáculos do dia a dia.Mas temos uma oportunidade nova quando despertamos para necessidade de  auto educação, ou seja ; para as necessidades da alma.
Isso me recorda o Mestre Jesus ensinando-nos a sempre escolher a porta estreita, porque grande e larga é a porta dos prazeres e das paixões.

Na superação dos pequenos obstáculos do dia a dia o espírito se fortalece ante as grandes vicissitudes, aprendendo que: - A dor é inevitável, mas o sofrimento opcional.

A dor é inerente a vida pois tudo muda o tempo todo.
O sofrimento é o que acontece quando lutamos contra aquilo que a vida nos oferece.Em vez de nos abrirmos a elas com sabedoria e compaixão.

Se o sofrimento ocorre quando lutamos contra aquilo que acontece devido a nossa incapacidade de aceitar os fatos, então é algo que ocorre em função de uma opção.São as escolhas que Jesus nos fala do "bem ou mal sofrer".

Usemos de paciência e tolerância, construindo sempre.
Coloquemos as mãos nas obras que a vida nos oferece com imenso amor, buscando o aprendizado que nos conduz a sabedoria, aprendendo a superar a vida e a nós mesmos.
"A crise é representada, no ideograma chinês, por um símbolo que traduz perigo e oportunidade ao mesmo tempo",



No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas “retinas tão fatigadas”.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra,
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.

( Carlos Drummond de Andrade )