Translate

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Papai do Céu



Papai do Céu
Que bom escrever uma carta...Não! Um e-mail! Agora a tecnologia está avançada e tudo é mais rápido. Mas como eu estava dizendo que bom poder falar-lhe através desse e-mail pois estou preocupada com algumas coisas aqui na Terra.
Uma delas é o Tempo.
Sabe Papai do Céu, nunca um ano passou tão rápido.Não sei se é porque estou mais velha e fiquei vagarosa .Ou se é porque os afazeres são muitos. O fato é que: Não tenho tempo para mais nada!
Eu me lembro que antigamente, íamos a todo lugar de ônibus ou a pé e chegávamos a tempo.
Hoje vamos de carro e sempre nos atrasamos, Ficamos parados no trânsito numa imensa fila.
Fila antigamente era do INSS, do banco,do pão ou para marcar consultas no SUS. Já ficamos na fila da água, da compra de ingresso de artistas famosos de outros países, do show do Roberto Carlos, mas nunca numa fila quilométrica de carros, o que acontece hoje diariamente.
Antes levávamos coisas no carro para ir à praia, ou ao sitio.
Hoje as coisas ficam no carro e ele tem tudo que se imagina, pois quando parados, podemos precisar.
Primeiro vêm os gêneros de necessidades básicas. É água, palito de dente, papel higiênico, barrinha de cereais, bolsinha de pronto socorro, guarda-chuva, casacos, toalhinhas perfumadas de higiene e de pano se molhar alguma coisa, cortador de unhas, pente, protetor solar,óculos de sol...
Depois vêm os gêneros de necessidade urgentíssimas como: celular com viva voz,CD, DVD, carregador de celular, GPS, Ipod, smartphone.
Para as crianças, cadeirinha, brinquedos, persianas para a janela por causa do sol, televisão que encaixa no banco.Caixas, sacolinhas  para as compras, etc.etc.E muitas coisitas mais.Esquecer alguma delas, nem pensar, pois voltar, jamais!!!.
Parece que mudamos para o carro, pois passamos mais tempo no trânsito indo e vindo do que em nossa casa.
Tentamos ganhar tempo, tendo mais conforto, um carro melhor, mais novo, mas isso implica em ter um emprego mais longe,gastando assim mais tempo. Temos visto os filhos pelo Skype, falado pelo celular horas a fio procurando resolver tudo que é possível. Usado o notebook para comprar, pagar contas, procurar tudo que necessitamos nas horas que nos  restam ,mas mesmo assim o tempo é curto.
Temos babá, a mãe e a sogra ajudam, temos empregada ou diarista,o apartamento que moramos é pequeno para não  dar muito trabalho. O quintal é o do prédio nem precisa limpar,as crianças estão na escola,no inglês,na natação ou no balé.
Mesmos assim não conseguimos arranjar mais tempo,principalmente para estar com elas, dizendo e fazendo tudo que gostaríamos.
Brincar, rolar no chão, aproveitar o Tempo que nessa idade passa tão depressa .
Ta vendo Papai do Céu lá vem ele de novo,ou melhor dizendo a falta dele.
Papai do Céu pra mim o Tempo adoeceu e não tem remédio não.
Além do que estão dizendo que em 21 de dezembro ele vai acabar de vez.
Socorro Papai do Céu! Eu nem terminei os estudos!.
Estou fazendo MBA e preciso reciclar alguns cursos de informática.
Outro dia escutei alguém dizer que se o dia tivesse mais horas ele arranjaria mais alguma coisa pra fazer. Será por isso que você o dividiu em 24 horas ?
Dizem que tudo está mudando na Natureza, é o clima,o derretimento das calotas polares, o urso branco está em extinção.Veneza está submergindo ,caiu granizo em Brasília,Nova York encheu de água.Com tanta mudança não dá para mudar o Tempo Papai do Céu.
Afinal seria tão bom viver mais e melhor.
Ouvir os tais passarinhos cantar,ver a tal beleza da flor,ou o sorriso da criança como falam. Porque eu não tenho visto nada disso não!
Saio cedo e volto ao anoitecer.De dia fico fechada num prédio altíssimo com ar condicionado, e persianas.
Papai do céu responda-me logo,faça alguma coisa por mim.
 
Resposta
Minha filha querida!
Embora minha caixa de e-mail esteja cheia, consegui ler o seu. Ouvi sua suplica através do seu pedido, e estou pensando seriamente em tudo que me disse a respeito do Tempo.
Pensei em extinguir os carros, extinguindo no Tempo a roda, mas pensei no quanto tempo levaríamos para atingir a Evolução. A tecnologia faz parte do desenvolvimento do intelecto humano e eu não poderia privar o homem disso.Lembre-se o homem precisa crescer moral e intelectualmente.
Pensei em extinguir também a ideia da necessidade de libertação da mulher,pois assim você estaria em casa,cuidando de tudo e de todos,e ainda teria tempo para se dedicar ao trabalho  do voluntariado nas instituições de caridade.Mas pensei estar interferindo no livre arbítrio e na Evolução desse ser tão fantástico que é a mulher,e no seu talento principal que é fazer tudo ao mesmo tempo.Além do que Jesus já era aliado de sua libertação quando eu o enviei a Terra e mudar tudo seria desdizer-me, e eu sendo Deus não é possível.
Pensei também em deixar as crianças mais tempo sendo crianças, mas isso influiria que tudo levaria mais tempo, a infância, a juventude,a velhice,e eu estaria influenciando as pessoas a trabalharem mais,viverem mais ,talvez elas adquirissem mais débitos.
Não... não... isso seria descaridade,e eu não posso ser descaridoso, preciso ser justo e bom.
Como você vê minha filha o Universo tem suas Leis sábias, e nós devemos nos integrar a elas, e não elas a nós.
Filha,faça  o melhor possível ao seu alcance, tenha valores sólidos para saber priorizar as coisas que vivencia. Ame infinita e incondicionalmente  pois o amor jamais perece, mas permanece além do Tempo e lugar.
Mantenha a paz,evitando ansiedades,principalmente para adquirir muitas coisas,pois quando temos muito,muito temos que zelar e perdemos tempo.Trabalhe com amor faça tudo com amor,pois assim nem sentimos o tempo passar, pois  todo ele será de realizações.Ame-se e não perca tempo com maus pensamentos.Gastamos um tempo enorme com eles,sem acrescentar nada.
E tenha esperança ! Muita esperança, pois ela é a única que pode mudar o Tempo pois quando a temos no coração,já estamos vivendo um outro tempo.
Não se esqueça de nada disso!
Do Pai que a ama e do qual você foi feita á imagem e semelhança.
Para sempre minha filha querida.!
Até breve menina,e não vai ser em 21 de dezembro não!
Saúde paz e alegria a você.
Da próxima vez não precisa mandar e-mail. não.
O pensamento através da oração é mais rápido, e eu poderei falar direto em seu coração. Além de poupar tempo, te sustentará por toda eternidade.

                                                            Papai do Céu






Quero desejar a todos os amigos,irmãos de ideal,e as pessoas que visitam o Blog Pátria Espírita,( que estão se tornando amigas) um bom Natal, cheio de paz e alegrias das mais puras e sinceras que o coração possa sentir.Um Ano Novo cheio de realizações,participações,celebrações com a vida que Deus nos deu



Meu desejo sincero de MUITA PAZ !!!!!


                                                           





quinta-feira, 15 de novembro de 2012

" Dar a outra face"




“Dar a outra  face “ nos dias de hoje está muito longe dos ensinos que o Evangelho de Jesus  nos faculta .Dar a outra face faz parte do jogo da política de diplomacia social, usada pelo ser humano quando quer atingir seus interesses.
São as inúmeras mascaras ou personas usadas para aquisição dos transitórios bem terrenos,ou manipulação de interesses. Vemos isso constantemente no dia a dia nos ambientes que freqüentamos, na mídia que traz personagens construídos a partir da observação do comportamento do ser humano.
Vemos isso também em muitas relações, onde a fidelidade em suas inúmeras expressões são malbaratadas.
Vemos isso na criatura para consigo própria quando negocia sonhos perdendo idealismos.
Múltiplas facetas de uma mesma personalidade que dividida tenta apreender muito mais do que pode carregar,sentindo-se miserável mesmo tendo muito.
Essas são questões da alma onde o vazio extremo não preenche a sofreguidão do coração que necessita na verdade da simplicidade de “ser”.
Lembram certas fábulas infantis onde a rainha era na verdade a bruxa má que  aterrorizava todo o reino,simplesmente para ouvir de seu espelho que ela era a mais bonita e melhor.Mas como o espelho mostrava sua realidade interior ela se sentia feia e incompleta.
Ter mais que o outro, tirar do outro, ou invejar o outro por aquilo que não se possui ,fala da insegurança, da enorme  carência interior que habita a alma .
Pedro de Camargo eminente pedagogo dizia :
“De de uma saco vazio nada se tira.”
Por isso se faz urgente o trabalho de interiorização de valores éticos e morais para reajustamento das múltiplas facetas que estão desequilibradas.Somente no equilíbrio entre “ter” e “ser”,desmistificando a questão dos extremos conseguiremos as condições de vivenciar a vida em plenitude.
Dizem alguns que um bom banho de cachoeira ajuda o ser humano em suas dores.
Banho de cachoeira é muito bom com certeza !
Mas eu diria que um bom banho nas fontes das águas do amor.e do trabalho recuperariam a criatura da perda de si mesma dando maior valor a atual oportunidade desta reencarnação bendita.

domingo, 21 de outubro de 2012

A Trajetória Evolutiva e os Meandros


Meandros são curvas sinuosas que se formam num rio de planície. Eles contêm a tensão das águas drenando sua energia.E ao drená-las percorrem um grande espaço a sua direita ou esquerda para voltar ao curso original.Essa providência de contenção ajuda-o em sua vazão e conseqüentemente em sua trajetória. De certa forma essa aparente disfunção é útil pois mantêm o nível d'água e auxilia outras áreas tornando-as férteis também.
A vida também as vezes parece conter meandros, caracterizando grandes voltas que se dá para chegar a um  lugar.
Como nada é por acaso acredito ser de nossa necessidade esses acontecimentos.
Precisamos amadurecer para cada situação.
Aprender a conter certas energias para ter “ olhos de ver e ouvidos de ouvir”, aferindo reais valores .
Estamos num plano de amadurecimento espiritual.
A evolução é paulatina, mas pede reajustamentos.
Por isso muito me admiro quando alguém diz que só aceita coisas objetivas, definidas e certas para sua vida. O que me parece ser preciosismos de uma perfectibilidade inatingível não afeita a evolução que não dá saltos, mas que usa de meandros para atingirmos a  condição essencial de aprendiz.
Quantas reencarnações não foram necessárias para que pudéssemos estar na condição atual.
Muitos desacreditam; dizem que o “homem faz o tempo e as coisas acontecerem”. 
Também é verdade, pois a vontade é  força propulsora do Espírito e quando desperta e utilizada no campo do bem, quão útil se torna. Mas seu despertamento é lento.
Tão lento quanto o desapego das coisas materiais que são necessárias à nossa subsistência.
Tão lento,quanto superar o ego em função  de “ser”.
Tão lento quanto definir o ponto exato entre o desejo e a vontade.Altruísmo e indiferença. Desapego e necessidade, pois  tudo faz parte faz parte da experiência de viver o dia a dia, demonstrando uma vez mais da importância de sermos maleáveis e flexíveis, sentimentos que só os meandros de um coração amoroso é capaz de realizar.
Lembro-me da fala de um amigo espiritual que dizia ser a felicidade tecida de muitos fios. E que por vezes esses fios deviam ser lançados bem longe, dando o espaço necessário para que o outro em suas buscas se encontrasse nos encontrando também.
A perfectibilidade é a trajetória da mente em sua visão objetiva.As vezes está ligada ao personalismo que é efêmero.
A maleabilidade,flexibilidade,generosidade  é a trajetória realizada pelos nosso sentir onde quanto mais se ama mais se encontra recursos para se atingir um objetivo.
As leis de Deus sábias e justas, são de bondade e misericórdia,  ou seja; tem atenuantes àquele que se faz merecedor, embora peçam sempre ressarcimento.
Ainda hoje questionamos a trajetória de evolução de nosso irmão maior Jesus e os *Espíritos da Esfera Crística Foram espíritos que evoluíram numa trajetória ascencional ou passaram pelos meandros que a resistência oferece?
Que possamos ajustar nosso relógio do tempo para o tempo certo que é o de agora. Que esse reajuste seja de paciência, perseverança, construtividade. Mas se houver atrasos devido às chuvas torrenciais, marés altas,vagalhões, lembremos dos meandros que constroem continuadamente o redirecionar de suas águas para o curso do rio. Sabendo que desde de sua nascente seu destino é desembocar em sua foz.
Tudo faz parte da Natureza.
E a Natureza tem a medida certa para cada coisa na Criação de Deus.






*Ninguém pode, mesmo por um proceder impecável na vida atual, transpor todos os graus da escala do aperfeiçoamento e tornar-se Espírito_puro, sem passar por outros graus_intermédios o que o homem julga perfeito longe está da perfeição. Há qualidades que lhe são desconhecidas e incompreensíveis.  Poderá ser tão perfeito quanto o comporte a sua natureza terrena, mas isso não é a perfeição absoluta. Dá-se com o Espírito o que se verifica com a criança que, por mais precoce que seja, tem de passar pela juventude, antes de chegar à idade da madureza; e também com o enfermo que, para recobrar a saúde, tem que passar pela convalescença. Demais, ao Espírito cumpre progredir em ciência e em moral. Se somente se adiantou num sentido, importa se adiante no outro, para atingir o extremo superior da escala. Contudo, quanto mais o homem se adiantar na sua vida atual, tanto menos longas e penosas lhe serão as provas que se seguirem. Entretanto, pode ao menos o homem, na vida presente, preparar com segurança, para si, uma existência futura menos prenhe de amarguras. Pode reduzir a extensão e as dificuldades do caminho. Só o descuidoso permanece sempre no mesmo ponto. 
[9a - página 131 questão 192 -Livro dos Espiritos

domingo, 30 de setembro de 2012

O corpo físico na visão espirita.


Dentro da lógica que envolve o espírito e a matéria, o corpo físico é maravilhoso instrumento que nos faculta habitar o mundo das formas.
Qual dúctil plástico, amolda-se segundo as necessidades que trazemos no perispírito;corpo intermediário entre o espírito e a matéria;
Atuando como escafandro a emergir da matéria densa sofre a atuação da lei de gravidade,
Recebe nessa rígida armadura,todo choque vibracional entre os dois planos de vida; ou seja das vibrações que chegam até nós por sintonia, e das vibrações que emitimos por ser quem somos.O que é mais intenso, pois a mente pensante, impregna o corpo de si mesma.
Medo, receios,inseguranças atuam sobre  ele tolhendo-o em sua dinâmica energética.
Rancor, raiva,ódio desajusta-o em seu dinamismo.E as dores e doenças começam a fazer parte desse processo vital. È lógico que ele não age por si só. Existe o dinamismo da mente a  governá-lo.
E existe uma repercussão do corpo doente sobre ela tolhendo-a,desequilibrando-a também.
Somos algoz e vítimas num intercâmbio constante.
Caixa acústica da alma. Instrumento maravilhoso para a reeducação do espírito imortal. 
Basta um teste simples para verificarmos essa veracidade.
Veja como ele fala em dias de tensão: - dores nas costas, pescoço,coluna.
Dias de nervosismo : - dores de cabeça,estomago,respiração e sono alterados.
Magoas,ressentimentos, atritos,desesperações,entretecem crises mentais e emocionais que culminam em processos patológicos se não passarem pela profilaxia do esclarecimento.
 Muitas vezes o corpo físico atua como refugio ou refrigério para almas em débitos com a s leis de Deus
Quantas criaturas que sofrem  perseguições espirituais de antigos algozes no plano espiritual somente se sentem a salvo quando refugiados no corpo físico.
Para outras almas é um refrigério devido as chagas perispirituais que trazem consigo e que através da reencarnação ou seja de um novo corpo físico vão expurgando.
Nas trilhas da experiência terrestre, a cada trecho surpreendemos desequilíbrios que se exprimem por enfermidades individuais ou coletivas.
A doutrina espírita não apenas descortina os panoramas radiantes da imortalidade  ante o futuro ,mas é igualmente luz a clarear o caminho  do homem desempenhando função especifica no tratamento de doenças que fustigam a humanidade,por ensinar a medicina da alma, em bases no amor construtivo e reedificante
Dai a necessidade da profilaxia continua e operante que o médico das almas ( Jesus) nos ensina.
Precisamos ser mediadores da paz,reajustando nosso campo emocional  e conseqüentemente nosso corpo físico. Precisamos modificar pensamentos e atitudes. Mediar um diálogo com ele de vez em quando.
Podem chamar de meditação, relaxamento.
Eu diria que é a busca de um momento de " reconhecimento e gratidão ".
Um diálogo interno com você mesmo,visualizando-se  como um todo, numa reverencia a oportunidade bendita desta reencarnação.
Respire fundo, relaxe,converse com você mesmo,com seus corpo,com cada órgão,cada parte visualizando quantas situações passadas esse parceiro superou.Reconheça-o,agradeça-o, deixe que uma mente amena e reconhecida o impregne,vibre no sentido da saúde,da alegria do amor a Deus e todas as coisas.
Mentalize momentos bons da meninice e juventude e reconheça-se agradecida em todas elas. Ore e acalme-se, dando o suporte emocional, estando no controle físico e espiritual das situações.

sábado, 8 de setembro de 2012

Profecias e Profetas


O homem nunca esteve só!
Deus é onisciente e onipresente em sua vida.
A história através do tempo demonstra isso com clareza.
E ele fala conosco através da Criação.
Para que não houvesse duvidas comunicou e intermediou seu amor, sua sabedoria, suas leis através do próprio homem.
Utilizando a centelha divina que nele habita, e que no desenvolvimento da razão e da sensibilidade fez-se ponte de ligação entre o céu e a Terra, amenizando os infortúnios de sua ignorância e insipiência.
As partes do todo se revelam umas as outras, revelando seu Criador. Intermediam as verdades divinas paulatinamente, dentro da necessidade das verdades relativas objetivando a ascensão espiritual do ser.
Por isso profetas e profecias através da intuição da inspiração falaram conosco  das revelações divinas.
Sonhos, visões, premonições foram os instrumentos utilizados.
Ou seja, o potencial anímico se transformando em mediúnico, se expandindo trazendo lume à verdade incontestável sobre si mesmo, o Universo, a Paternidade Divina, a Imortalidade da Alma, a Evolução Anímica.
O Antigo e o Novo Testamento dão testemunhos através dos profetas, e profecias sobre esse desenrolar, ou seja; o desenvolvimento espiritual do homem.
O rei Davi prenunciou a vinda de Jesus 1000 anos antes de seu nascimento na Terra.
Essa profecia faz parte do Livro dos Salmos o maior do Antigo Testamento onde os cânticos e poemas (mais de 151) fazem parte de seu conteúdo. E Jesus os ratificou 1000 anos depois quando em sua derradeira missão diz o Salmo 22 de Davi em sua hora derradeira.
Pai porque me abandonaste?
Muitos não entenderam essas palavras vindas do mestre cuja missão revelou a “Bondade Divina”, mas ela estava lá nos salmos nas profecias de Davi, e Jesus dá voz a essa revelação, dizendo-a no momento mais extremos de sua agonia.
O Novo Testamento contido na Bíblia,  fala do profeta Jesus, e tem seus dizeres em vários momentos para que possamos entendê-lo melhor.
- “Eu não vim destruir a lei, mas dar-lhe cumprimento”.
A lei era a *mosaica, o cumprimento era das profecias.
Jesus foi educado sobre os preceitos das leis *mosaicas e as conhecia muito bem, afinal ele era judeu, sua descendência vinha do rei Davi, fazendo parte da descendência de Abraão.
Moisés foi o patriarca dos judeus, seu principal legislador. Foi também líder religioso e profeta.
Trouxe a revelação do Deus único e os dez mandamentos das leis de Deus.
O profeta Daniel escreveu a profecia sobre o tempo da chegada do Messias, quando ele e outros hebreus foram levados pelo rei Nabucodonossor que destruira a cidade de Jerusalém no ano 588 AC.
Ele sabia que esse cativeiro duraria 70 anos, pois o profeta Jeremias já profetizara, e este tempo estava chegando ao fim, por isso desejava o rápido retorno do povo hebreu e a restauração da Cidade Santa em Jerusalém, pois depois dela estar restaurada iniciar-se-ia a previsão do ano da vinda do Messias.
Jeremias, Ezequiel, Baruc, todos profetizaram sua vinda.
As previsões e profecias são muitas e estão divididas na Bíblia em profetas menores e maiores, segundo a quantidade de texto de cada um e não de seus conteúdos.
Paulo o apostolo fala sobre o dom de profetizar em: I Coríntios 14: 1
“Segui o amor; e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o dom de profetizar”.
Pedro também:
- “A profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens santos, da parte de Deus falaram movidos pelo espírito santo”.  II Pedro 1:2
E vós quem dizeis quem sou? Simão Pedro respondeu:
- “Tu és o Messias, o filho do Deus vivo”
Respondendo Jesus lhe disse:
- “Feliz és tu Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas meu Pai que está no céu. Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha igreja. Mat. 16:16-18”.
O mais recente e último profeta que consta da Bíblia foi Maomé. Ele foi um líder religioso e político árabe.Segundo a religião islâmica foi o último profeta do Deus de Abraão.Ele foi precedido por Jesus.Porem não rejeitou o Cristianismo nem o Judaísmo duas religiões monoteístas. Em vez disso informou que tinha sido enviado por Deus para restaurar os ensinamentos originais dessas religiões, que tinham sido corrompidos e esquecidos.
Maomé não conseguiu seu intento tendo de abandonar Meca, numa migração chamada Hégira.
Há todo um contexto histórico de aprendizado e reflexão que nos traz a Bíblia e da qual o estudo para nós espíritas também é importante, pois o Espiritismo possue tríplice aspecto: Filosofia, Ciência, Religião.
Ele busca restaurar no coração do homem o Cristianismo Redivivo ou seja, o Cristianismo revivido em sua primitiva pureza.
Ele nos alerta que o profetismo não era privilégio dos judeus, mas qualidade do homem existente em todo mundo antigo como em todo mundo moderno.
Nos explica também; cumprindo as promessas do Consolador que o profetismo bíblico e apostólico eram simplesmente o uso da mediunidade.  Portanto afeitos também às imperfeições humanas, daí o alerta sobre os “falsos profetas” contidos no Evangelho Segundo o Espiritismo
Falsos profetas tanto encarnados quanto desencarnados, interferindo pelos fios sutis do pensamento gerando a obsessão.
Houve assim na antiguidade profetas em Israel e na Igreja primitiva.No mundo pagão existiram as sibilas, pitonisas e oráculos.E no mundo moderno os médiuns. Dependendo o conteúdo de suas profecias do estado de fórum intimo de seus profetas.
Por isso ouçamos na acústica da alma o aprendizado do apostolo Paulo e de João,ajustando nosso entendimento sobre os profetas e suas profecias.
“O que profetiza fala aos homens para edificação, exortação e consolação”. Coríntios 14:3 ““.
“Amados não creais em todos os espíritos, mas provai se os espíritos vêm de Deus; pois muito falso profeta tem saído pelo mundo”. João 4:1





*Quando se faz referência à Lei de Moisés nas igrejas, geralmente está se falando dos Dez Mandamentos. Mas esse é um engano, pois cumprir a Lei Mosaica é muito mais: ela é composta de todo o código de leis formado por 613 disposições, ordens e proibições. Em hebraico a Lei é chamada de Torá, que pode significar lei como também instrução ou doutrina. O conteúdo da Torá são os cinco livros de Moisés, mas o termo Torá é aplicado igualmente ao Antigo Testamento como um todo.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Evolução Espiritual


Quando falamos sobre as questões do espírito, um dos quesitos fundamentais para nosso esclarecimento é que o “Espírito” evolui. 
Ou seja; desenvolve-se através de sucessivas reencarnações. Auto aperfeiçoa-se nas dimensões intelectual e moral, deixando sua condição inicial de "simplicidade e ignorância" para se elevar à condição de pureza espiritual.
A idéia de “evolução do espírito” dimensiona a dinâmica a que estamos afeitos como espírito imortal, sem o determinismo do “nada” que certas culturas religiosas impõem.
Abre-se a nossa frente às questões do livro arbítrio e da individualidade, inerentes a vida mesmo depois da morte.
Amplia-se em nossa mente as questões do tempo, e da eternidade dantes não compreendidas ou assimiladas.
Ajustam na medida certa, as questões sobre a justiça divina através das oportunidades renovadas.
Quantas possibilidades para a criatura ao dimensionar a palavra evolução!
O respaldo cientifico para essa questão que o Espiritismo tão bem desenvolve através da Lei do Progresso ou Lei da Evolução contida no livro dos Espíritos, vem através das pesquisas de Charles Darwin em meados do século XIX, quando lança seu livro “Teoria da Evolução das Espécies”.Um grande marco cientifico, que abrange idéias muito alem da ciência pois, corrobora com a amplitude de questões religiosas, como a do Criacionismo vigente até então.
No Criacionismo o homem é o centro de toda Criação, pois feito à imagem e semelhança de Deus tem o privilegio de abstração e discernimento para perceber sua natureza divina. Ou seja; superioridade ante todos os outros seres.
Isso com certeza mexe com o orgulho humano, pois quando falamos em evolução profanamos essa sua “natureza divina” privilegiada.
Segundo o princípio do Evolucionismo, tudo o que existe está em contínua evolução. O Universo, os mundos e os seres, tanto os animados quanto os inanimados, isoladamente ou em conjunto,pois isso faz parte das Leis de Deus.
Diz-nos o Evangelho segundo o Espiritismo
"Ao mesmo tempo que todos os seres vivos progridem moralmente, progridem materialmente os mundos em que eles habitam. Quem pudesse acompanhar um mundo em suas diferentes fases, desde o instante em que se aglomeraram os primeiros átomos, destinados e constituí-lo, vê-lo-ia a percorrer uma escala incessantemente progressiva, mas de degraus imperceptíveis para cada geração, e a oferecer aos seus habitantes uma morada cada vez mais agradável, à medida que eles próprios avançam na senda do progresso. Marcham assim, paralelamente, o progresso do homem, o dos animais, seus auxiliares, o dos vegetais e o da habitação, porquanto nada na Natureza permanece estacionário” .
Temos assim a idéia de sincronicidade existente em toda Criação.
Há evolução no plano físico e no plano espiritual.
Podemos perceber essa predeterminação na trajetória do “ser” alicerçada por uma inteligência superior em suas leis sábias.
Interessante vir a lume no século XIX idéias tão marcantes.
Seria ainda o clarão das luzes do século do Iluminismo (XVIII) chegando até nós?
Seriam Darwim e Kardec arautos da evolução?
Como Espírito teriam a incumbência de aclarar o pensamento humano?
Utilizariam esta reencarnação para a semeadura de idéias libertadoras muitas vezes aprisionada pelos dogmas?
Ou seriam mensageiros do progresso, demonstrando que tudo se inicia no plano espiritual e cabe ao homem através das revelações intuídas e contextualizadas compreender melhor seu papel no mundo se integrando a ele?
Seria o homem de ciência, o médium nos quesitos do intelecto e o homem religioso o médium das “Verdades Divinas Reveladas” segundo intuição?
Deverá então haver uma integração entre eles. Ou seja ciência e religião caminhando juntas.Desmistificando os que dizem ser isso impossível?
Quantas perguntas, e com certeza quantas respostas a serem obtidas.
Dizem que muito mais que respostas, as perguntas é que determinam o progresso realizado. Espero que este texto suscite muitas outras, e que a indagação faça parte de nossa interioridade, demonstrando assim a força intuitiva e operante que existe em nós para irmos cada vez mais avante, à frente, ao alto.





O criacionismo consiste na crença que o universo e a vida foram criados, sem recurso a matéria preexistente por uma entidade superior
O criacionismo afirma a ideia da mais pura causalidade pois Deus a partir do nada, por um acto de sua livre vontade põe o mundo e o homem na existência. Exclui-se por conseguinte uma causa material, a esta teoria opõem-se todas as concepções materialistas como a teoria da biogénese ou a teoria do Big Bang, que dizem que o universo ou a vida foram criados a partir de matéria preexistente por mero acaso.

sábado, 21 de julho de 2012

A Raça Adâmica



O Universo espelha a grandeza de seu Criador.
Por isso quando olhamos o céu podendo ver a lua, as estrelas as constelações sentimos uma sensação de pequenez ante tamanha vastidão.Essa sensação nos envolve paulatinamente levando-nos a introspecção.
É como se tentássemos entender, mas tal conhecimento não coubesse dentro de nós.
Como tudo se originou.? Porque aqui estamos?. Qual nosso papel nisso tudo.?
Diz a Neurolinguística que ao acessarmos nossas lembranças, projetarmos nosso olhar para cima . Isso é uma característica cerebral desenvolvida por nós.
Penso que quando olhamos os céus acontece o mesmo conosco. Acessamos a memória profunda de nossa ancestralidade. E como indagadores, buscamos a nossa origem, começo, meio e fim.
A Ciência explica que nosso Planeta nasceu do caos, originando-se de uma explosão.
Acredito que o homem está mais propicio em lidar com idéia do caos e da explosão, do que integrar-se as Leis que harmoniosamente criaram e regem o Universo. Pois o caos ele tenta submete-lo a “sua ordem”. Mas a “ordem das coisas” para entender devemos nos  submeter,integrando-nos , ou seja “sermos submetidos”. O que para o homem é mais difícil.
Por isso somos ainda como Dom Quixote a combater moinhos de ventos, à tentar verificar a verdade que nos envolve.
Acreditar na Religião ou na Ciência parece banal demais  naquilo que o homem  gostaria de saber por si mesmo.Unir o conhecimento que ambas oferece parece inimaginável para alguns. Pois os cientistas não encontram Deus em suas descobertas. E os religiosos acreditam na manifestação divina sem lei ou ordem.E assim ele caminha descrente ante os sinais que a Providencia Divina lhe demonstra, ou a Ciência assinala, salvando sua pele inúmeras vezes pois, sua ingenuidade é passaporte para os arroubos de ignorância espiritual em que se compraz.
Mas na acústica de sua alma palpita:
Um “por que” ? Outro “para que” ? E ainda um “ para onde” ?
E um sentimento inexpressivo de vazio, perda abriga-se sem sua inconsciência profunda, como nos explica o Espiritismo através do livro A Gênese de Allan Kardec
 Segundo ensino dos espíritos fazemos parte de uma grande imigração de espíritos vindos de outra esfera que deu nascimento a raça simbolizada por Adão,a qual por essa razão chama-se raça adâmica. Quando ela aqui chegou, a Terra era povoada desde tempos imemoriais, como a América o era quando para ali foram os europeus .
A raça adâmica mais adiantada que as que haviam precedido na Terra, é com efeito mais inteligente; é empurra todas as outras em direção ao progresso.
*A Gênese no-la mostra desde seus primórdios, industriosa, apta às artes e às ciências, sem ter passado pela infância intelectual, o que não é próprio das raças primitivas, mas que concorda com a opinião de que ela se compunha de Espíritos que já haviam progredido.
Tudo prova que ela não é antiga na Terra e nada se opões a que ela não tenha aqui senão alguns milhares de anos, o que não estaria em contradição nem com os fatos geológicos, nem com as observações antropológicas, e tenderia ao contrário confirmá-las”.
Vemos assim através da fieira das encarnações os Espíritos habitarem outros orbes quando esses mundos passaram de um estágio evolutivo inferior para outro superior, o qual não conseguiram galgar.Mas como nada se perde e tudo se transforma, esses Espíritos passaram a habitar outros orbes que os podiam receber, e onde sua capacidade de progresso relativo, pode servir ao progresso dos seres mais primitivos que ali estavam.
Há grandes movimentos imigratórios espirituais principalmente quando cataclismos ocorrem no âmbito físico de um Planeta em evolução assim como a Terra.
Levas desses Espíritos são conduzidos para ali onde aplicarão sua inteligência, e intuição de seus conhecimentos adquiridos, ao progresso daqueles  em cujo meio são chamados a viver, ao mesmo tempo em que expiarão numa serie de existências penosas através de um duro trabalho, suas faltas passadas e seu endurecimento voluntário.
A raça adâmica tem todas os caracteres de uma raça proscrita; os Espíritos que dela fazem parte foram proscritos sobre a Terra já povoada, porém por homens primitivos mergulhados na ignorância, e que eles tem por missão fazer progredir, trazendo-lhes as luzes de uma inteligência desenvolvida.
“Que serão eles,no meio de tais povos, novos para eles,ainda na infância da barbárie,senão anjos  ou Espíritos decaídos ,enviados em expiação? A Terra da qual serão expulsos não será para eles um paraíso perdido? Ela não era, para esses degredados um lugar de delícias, em comparação com o meio ingrato onde vão se encontrar relegados durante milhares de séculos,até o dia em que terão merecidos sua libertação? A vaga recordação intuitiva que conservarão, é para eles como uma miragem longínqua que os faz lembrar aquilo que perderam por sua falta.” *A Gênese
Quão difícil deve ter sido para esses Espíritos esse degredo.Mas quão útil no processo da Evolução deste planeta se tornariam podendo ao mesmo tempo ressarcir débitos urgentes.
De onde eu vim? Para onde vou? Porque aqui estou?
Indagações que se bem respondidas trarão uma claridade nova sobre as expectativas ante a evolução do homem neste planeta, nesta atual reencarnação.Onde o tempo será melhor aproveitado.As vicissitudes melhor compreendidas. E a reconstrução do auto amor oportunidade de renovação.
E o céu sobre nossa cabeça nos fará lembrar que somos viajores do passado sim; através da fieira  das reencarnações nas  inúmeras moradas da casa do Pai,mas que agora conscientes e despertos nossa trajetória será outra. Rumo ao futuro e as grandezas que ele nos reserva.





Para maiores informações sobre este assunto  leiam o livro A Caminho da Luz - Emmanuel- ou Evolução em Dois Mundos
de André Luiz.
*Migração- Trocar de região,pais estado, ou até mesmo domicílio
*Imigração- Movimento de entrada,com ânimo permanente ou temporário e com intenção de trabalho e/ou residencia,de pessoas,ou populações de um país para outro.
*Emigração- È o ato eo fenômeno espontâneo de deixar seu local de residencia para estabelecer numa região ou nação
*Orbe - planeta,astro, mundo.
* A Gênese livro de Allan Kardec.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Esquecimento do Passado


Lidar com nossas lembranças não é fácil principalmente quando trouxeram magoas, lágrimas, feriram nosso coração.
Muitos carregam tristezas profundas devido a essas emoções.
Às vezes são situações de agressão ou humilhação na infância. Outras de perda; um ente querido,  fracasso inusitado, a impossibilidade de realizar um sonho.Alguém dificultando nosso acesso para alcançar algo predeterminado por nós.Enfim um gama enorme de situações que permeiam a vida dentro da naturalidade que dela se espera e da imperfeição do ser humano.
Trabalhar essas lembranças através do perdão e do esquecimento como nos recomenda Jesus parece difícil demais.Por isso muitos vão seguindo, fingindo que nada aconteceu ou pondo uma pedra encima como se diz popularmente para poder continuar a vida.Mas a dor está lá dentro sendo padrão para futuras relações e comportamentos.
Talvez daí surja à desconfiança, o desamor, a indiferença. Aspectos sombrios da personalidade, que geram conflituosos relacionamentos.
Quando não conseguimos trabalhar essas questões na presente reencarnação, elas perduram através do tempo fixando-se indeterminadamente em nosso corpo espiritual causando sérios agravos.
Por isso o processo de reeducação é tão importante.
Conhecer a si mesmo, aferindo reais necessidades de mudanças, embasados em valores reais, é o remédio salutar que a alma necessita.
Jesus é o médico das almas !
Ele acalenta em nós essa desejo de mudança, trabalhando através da conscientização do amor e do  trabalho a realidade das necessidades humanas.
Orgulho, egoísmo são as duas grandes chagas a ser perscrutadas por nós.Elas deixam grandes vazios na alma, pois não fazem pontes com o outro.A solidão é a inequívoca sensação da alma nessa situação.E eu diria fazendo um paradoxo; que essa solidão é de si mesmo, pois a criatura  vai se perdendo no vazio do próprio coração.Esquecendo-se que como filho de Deus possui a centelha divina dentro de si que o impulsiona constantemente à frente, avante, com amor.
Essas são sensações que trazemos no presente momento fazendo parte das lembranças do hoje, mas muitas perduram devido às injunções do passado do espírito imortal.
Elas não só ferem a criatura como ferem o corpo espiritual, trazendo muitas doenças fixando-se no corpo físico.Assim geram “plugs” de ligações através da sintonia com outras mentes de mesmo teor vibratório.
Por isso o remédio salutar do esquecimento e do perdão se faz necessário, e é apregoado por Jesus em todo seu Evangelho.
Esses são os recursos intrínsecos das leis de Deus que nos permite recomeçar uma nova vida nesta atual reencarnação, usufruindo a Lei do Esquecimento.
Recomeço que possibilitará reatarmos os caminhos preteridos pelos descaminhos e atalhos escolhidos por nós no pretérito. Minimizando temporariamente as angustias da alma para que ela aprenda a perdoar e amar.
Assim para aqueles que se interpõem ao Espiritismo pelas questões da reencarnação, dizendo não acreditar, pois não se lembram delas, podemos informar que o esquecimento do passado faz parte da misericórdia divina para com pequenez humana que ainda não aprendeu a perdoar, mas que do esquecimento necessita como “pulsão” gerador de atitudes renovadas. 

O Espiritismo - Células Tronco e os Embriões Congelados

sábado, 26 de maio de 2012

A revista de estudos psicológicos de Kardec - Revue Spirite


n
Recordo que quando estava no Curso Mediúnico, na Casa Espírita,tinha uma amiga muito inteligente e estudiosa, e sempre que havia alguma duvida a qual não se esclarecia plenamente ela dizia:
-Vou esclarecer isso nem que tenha de ler a “Revue Spirite”
inteirinha !
Nós  sempre riamos muito ante seu perfeccionismo ( afinal a revista é com posta por12 volumes) e tudo acabava sendo muito proveitoso.
O tempo passou, e as obras básicas foram e são ainda fundamentais para o estudo da Doutrina dos Espíritos. Poder ler a Revue Spirité fundamenta ainda mais  nosso conhecimento, nos colocando em contato com todas as pesquisas feitas por Kardec.
A Revista Espírita,é composta de 12 volumes, referentes aos anos de 1858 a 1869.
Nesta Revista, Kardec explicava os fatos que aconteciam na época à luz da Doutrina Espírita, escrevia artigos, refutava os detratores do Espiritismo, mensagens, enfim é um manancial de informações para o estudante do Espiritismo.A coleção da Revista Espírita é a mais prodigiosa fonte de informações sobre o Espiritismo e de instruções doutrinárias.
Allan Kardec a indica, no capítulo 3º de O livro dos Médiuns, como obra indispensável para o estudo da Doutrina. Aconselha mesmo a seguinte ordem para esse estudo:
O que é o Espiritismo; O Livro dos Espíritos;  O Livro dos Médiuns;  A Revista Espírita.
Considera o primeiro livro indicado como de simples introdução, os dois seguintes como fundamentais e a Revista como obra complementar, no sentido exato da palavra, ou seja, destinada a completar o ensino básico de O Livro dos Espíritos e de O Livro dos Médiuns.
Eis como ele se refere à revista Espírita, no trecho referido:
- "Variada coletânea de fatos, de explicações teóricas e de trechos destacados que completam a exposição das duas obras precedentes, e que representa de alguma maneira a sua aplicação. Sua leitura pode ser feita ao mesmo tempo que a daquelas obras, mas será mais proveitosa e sobretudo mais compreensível após a leitura do Livro dos Espíritos".
Esta expressão de Kardec :  “e que representa de alguma maneira a sua aplicação”  dá à Revista Espírita uma posição excepcional no conjunto da Codificação, a de verdadeiro documentário, com um sentido ainda mais significativo e valioso que é o de relatório científico e histórico. Aliás, o próprio Kardec escreveria mais tarde, como se pode ler em Obras Póstumas, no capítulo X da Constituição do Espiritismo:
- "...A Revista foi até agora, e não podia deixar de ser, uma obra pessoal, visto que fazia parte de nossas obras doutrinárias, constituindo os Anais do Espiritismo.
Por seu intermédio é que todos os princípios novos foram elaborados e entregues ao estudo. Era pois necessário conservar o seu caráter individual, para que se estabelecesse a unidade".
O Codificador, portanto, é o primeiro a mostrar a importância da Revista Espírita no conjunto da Codificação. Até agora, entretanto, essa obra era simples raridade bibliográfica, reservada ao conhecimento de alguns privilegiados que a possuíam no original francês.E é inacreditável que no Brasil, onde o Espiritismo encontrou por assim dizer o clima espiritual mais apropriado ao seu desenvolvimento, só agora a Revista Espírita seja colocada ao alcance do público, em tradução para a nossa língua.
Kardec revela, como vimos, que a Revista foi o seu mais importante instrumento de pesquisa, verdadeira sonda para a captação das reações do público, ao mesmo tempo que instrumento de divulgação e defesa da Doutrina. Mais do que isso, porém, constitui- se numa espécie de laboratório em que as manifestações mediúnicas, colhidas por todo o mundo, eram examinadas à luz dos princípios de O Livro dos Espíritos e controladas pelas experiências da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas e pelas novas manifestações espirituais recebidas.
É nas suas páginas que os atuais estudiosos da fenomenologia espírita encontrarão os questões surgidas no meio espírita, a respeito de aspectos e pontos da Doutrina, serão elucidados pelo estudo atencioso do gigantesco acervo desta coleção.
Ocorrências que hoje parecem novas e aturdem alguns praticantes e estudiosos do Espiritismo tem aqui os seus precedentes registrados, com as soluções já então oferecidas pelo admirável bom senso de Kardec , aliado às instruções constantes que recebia de seus guias espirituais. Por isso podemos afirmar que a publicação desta coleção marca uma nova era do Espiritismo no Brasil e em todo o continente. Já não é possível a um espírita estudioso prescindir da leitura e do exame dos doze volumes desta obra.
Allan Kardec, durante onze anos e quatro meses de trabalho intensivo, ofereceu- nos, ao vivo, toda a História do Espiritismo, no processo de seu desenvolvimento e sua propagação no século dezenove. Podemos acompanhar nestas páginas, passo a passo, o esforço ao mesmo tempo grandioso e minucioso de Kardec na construção metódica da Doutrina e na estruturação do movimento espírita. 
A História do Espiritismo se nos apresenta, assim,como uma forma de vivência que se auto fixou na escrita. Podemos senti- la e revivê- la no registro preciso das reuniões, das pesquisas, das comunicações espirituais e dos trabalhos vários da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, dos grupos familiares e dos centros Espíritas, bem como das Sociedades estrangeiras a ela ligadas. Nada se oculta ao leitor. Os problemas, as preocupações de Kardec , suas lutas dentro e fora do meio espírita, suas vitórias tranqüilas, sua resistência à calúnia, à mentira, à difamação, sua fé inabalável, tudo isso palpita nestas páginas e nos dá a impressão de vivermos ao lado do Codificador, na sua época.
Numerosas questões apenas afloradas nos livros da Codificação, que não podiam abranger tudo nem tudo esmiuçar, são amplamente tratadas na Revista, com todos os seus pormenores, e exaustivamente analisadas.
Problemas como os referentes à mediunidade curadora em seus vários aspectos; aos casos de obsessão e possessão; ao desenvolvimento mediúnico; aos métodos de trabalho prático e teórico; à legitimidade das comunicações e à prevenção das mistificações (que não são um problema espírita das atividades humanas na Terra); das vidas sucessivas e das formas de reencarnação consciente e inconsciente, neste e em outros mundos; da existência de espíritos não- humanos (que tem servido de arma para ataques de espiritualistas diversos contra o Espiritismo, simplesmente por desconhecerem a posição doutrinária no assunto) são todos esclarecidos de maneira viva na Revista, ou seja, através de exemplos e comunicações a respeito, além das análises de Kardec . Veja- se, no tocante a esse último problema, as comunicações de Espíritos que se apresentam como Gênio das Flores, Anjo das Crianças, os chamados elementares da Teosofia e do ocultismo.Capítulo dos mais importantes e estreitamento ligado às pesquisas parapsicológicas atuais é o das manifestações de pessoas vivas. Esse capítulo se estende por toda a coleção através dos relatos de fatos espontâneos e principalmente dos relatórios de pesquisas. Além dos relatórios há o registro ao vivo das sessões da Sociedade em que se faziam evocações experimentais nesse campo. Registros minuciosos, com todas as perguntas e respostas do diálogo entre Kardec e o Espírito manifestante e com todas as informações necessárias ao esclarecimento do assunto.
A questão do animismo, sempre levantada contra o Espiritismo, apesar das refutações magistrais e clássicas de Bozzano e Aksakof, foi assim resolvida em definitivo por Kardec , muito antes do trabalho desses cientistas, e resolvida de maneira científica, através de trabalhos experimentais. É assim que não só o animismo, mas também os problemas do inconsciente, do automatismo psíquico, da escrita automática, das funções psi em  todas as suas modalidades atuais e em outras ainda nem afloradas, do magnetismo e do hipnotismo, das relações psicossomáticas e outras mais, todos esses problemas são enfrentados de maneira científica nestas páginas e levados à devida solução.
Os adversários honestos do Espiritismo encontram nesta coleção a possibilidade de
conhecer amplamente a questão espírita e temos a certeza de que muitos deles, após a leitura atenta destes volumes, poderão chegar às conclusões finais de Cesare Lombroso e Charles Richet, rendendo homenagem ao bom senso e ao critério científico de Kardec. Quanto aos adversários sistemáticos, sectários ou de má fé nada podemos esperar, senão a tentativa de desmere er a grandeza da obra e a sua verdadeira significação na História do Conhecimento. A propósito, a Revista nos oferece ainda o exemplo das respostas de Kardec aos agressores do Espiritismo. Já naquela época a situação era a mesma: os adversários ignoravam o assunto. Kardec lhes mostra com bom senso e firmeza a fragilidade dos seus argumentos, repele os seus gracejos e as suas ironias em nome da seriedade dos problemas em causa, convida- os a estudar a Doutrina ou a se aprofundarem mais nas próprias questões que levantaram,usando às vezes de energia, porém jamais esquecido da caridade, que foi a bússola constante de sua vida e de todas as suas atividades.
Há ainda um capítulo importante de Psicologia, que se desenvolve nestes volumes: o da natureza dos animais e de suas relações com os homens. As pesquisas psicológicas nesse campo foram bastante intensificadas nos princípios de nosso século e hoje vão sendo enriquecidas com a contribuição das investigações parapsicológicas.
Nos Estados Unidos e na Rússia, particularmente os parapsicólogos se interessam pela verificação das funções psi nos animais. O Espiritismo cuidou desse problema desde o início, como o atestam os trabalhos e as c omunicações espirituais a respeito, publicados na Revista. As comunicações do espírito George, discutidas por Kardec ,analisadas em seus diversos aspectos e submetidas a debates na Sociedade, e vários fatos referentes à mediunidade nos animais constituem um dos mais curiosos e bem atualizados capítulos desta coleção, revelando ainda uma vez quanto o Espiritismo se antecipou aos problemas científicos dos nossos dias.
A era espacial é outra prova dessa atualidade. Kardec a iniciou não só no plano conceptual, firmando em O livro dos Espíritos o princípio da pluralidade dos mundos habitados, que Camillo Flammarion posteriormente desenvolveu,com sua autoridade de astrônomo, num livro com esse título, mas também deu inicio às pesquisas a respeito. Não se servia de telescópios, mas de médiuns. Suas sondas espaciais eram as próprias almas humanas e os Espíritos comunicantes. Veja- se o magnífico desenho da casa de Mozart em Júpiter, incluído neste primeiro volume da Revista e leia- se a análise sensata de Kardec . Quem recebeu o desenho foi o famoso autor teatral Victorien
Sardou, médium, que entretanto não sabia desenhar. Mas as comunicações espíritas sobre os mundos habitados,publicadas na seção Palestra Familiares de Além- Túmulo, são documentos ainda mais impressionantes.
Até há pouco podia- se rir de tudo isso. Hoje, porém, que os mais cépticos já admitem, tanto no mundo capitalista quanto no socialista, tanto entre espiritualistas quanto entre materialistas, a teoria espíritas da diversidade das formas de vida nos diferentes planetas, e que as próprias religiões mais contrárias a ela também começam a aceitá- la, é evidente que as observações de Kardec a respeito assumem novo aspecto. Assinale- se ainda que, no campo das pesquisas parapsicológicas, renovam- se em nossos dias as tentativas de comunicaç ão interplanetária por meio do  mesmo instrumento usado por Kardec : o médium, pois as provas científicas da possibilidade de telepatia a distâncias imprevisíveis vieram reforçar a posição espírita nessa campo.
A História do Espiritismo, ainda não esc ita de maneira sistemática, apesar de algumas contribuições pioneiras como a de Conan Doyle, revela- nos aspectos novos nesta coleção. Kardec estabelece as duplas ligações do Espiritismo com o Cristianismo, de um lado, e com o Druidismo, de outro, e prova que antes das ocorrências espíritas de Hydesville, nos Estados Unidos, com as irmãs Fox, já se realizaram sessões espíritas na França, como as de Charles Renard em Rambouillet, que o levaram a considerar: 
- " É de nosso conhecimento que muitas pessoas ocupavam- se de comunicações espíritas muito antes do aparecimento das mesas girantes, do que temos provas, com datas certas". 
Além disso, Kardec estabelece as relações profundas entre as religiões primitivas, a Mitologia, as chamadas religiões positivas e o Espiritismo, num encadeamento histórico que é também um dos capítulos mais fecundos da Antropologia Cultural, abrindo possibilidades, agora reforçadas pela Parapsicologia, para a elaboração da Antropologia mediúnica. E há ainda a contribuição espírita para o esclarecimento dos problemas históricos, não só através das curiosas comunicações de personagens famosos, como da interpretação palingenésica que o Espiritismo oferece, renovando as perspectivas da História e da Filosofia da História.
Por tudo isso, e por muito mais ainda, que o leitor e o estudante descobrirão por si mesmos, a coleç ão da Revista Espírita se apresenta como obra indispensável aos homens de cultura de nosso tempo, sejam ou não espíritas.
Mas particularmente os espíritas, e em especial os que tem responsabilidade de orientação no movimento doutrinário, não podem olvidar o seu dever de ler e estudar esta obra com atenção e com amor. E foi por isso que a escolhemos para iniciar a publicação, pela primeira vez no mundo, das Obras Completas de Allan Kardec ,que agora apresentamos.




* texto extraído da Revista Espírita de 1858, Editora Edicel. (texto de José Valdir) 

*Após o falecimento de Kardec, o periódico continuou sendo publicada na França, com interrupções apenas entre 1915 e 1917, devido à Primeira Guerra Mundial, entre 1940 e 1947, devido à Segunda Guerra Mundial e entre janeiro de 1977 e maio de 1986 pelo abandono do título. Em 11 de maio de 1989 a Union Spirite Française et Francophone (USFF) - União Espírita Francesa e Francofônica - obteve o registro oficial da Revue Spirite e reiniciou a sua edição em conjunto com o Conselho Espírita Internacional (CEI). Hoje a Revista Espírita é editada emfrancês, esperanto, espanhol, inglês, polonês e russo.

*Os números publicados durante esses 12 anos foram traduzidos para o português, e podem ser encontrados em três edições, uma pelaEditora IDE - Instituto de Difusão Espírita, em tradução de Salvador Gentille, outra pela Editora Cultural Espírita Edicel, em tradução de Júlio Abreu Filho e, a mais recente, pela Federação Espírita Brasileira, em tradução de Evandro Noleto Bezerra.

sábado, 21 de abril de 2012

Religião ou Religiosidade ?


Dizem que espírita tem mania de ler.
Mas o Sr. Kardec nos deixou um legado precioso quando diz:
“Espíritas amai-vos e instrui-vos.”
È melhor rejeitar 99 verdades do que aceitar uma mentira.
E nós lemos bastante é verdade. Estudamos, pesquisando nas obras básicas da Codificação elementos de entendimento.Afinal quando se fala de fé tudo parece tão subjetivo.
E o que desejamos ? Desejamos estabelecer que nossa fé seja real, verdadeira, inserida no tempo, na ciência. Queremos ter entendimento para consentimento não só do coração, mas da razão.
Quando criança, fui  educada segundo os preceitos da religião de meus pais, e não havia espaço para duvidas ou questionamentos pois tudo era taxativo, dogmático.
È assim e pronto!
- Mas mãe que historia é essa de três em um?
-Não discuta menina você está duvidando de Deus?
-E claro que não!
E para ficarmos “em paz” com Deus, e com a mãe, não discutíamos mais.
Eram outros tempos. Hoje as pessoas nem se preocupam com a religião, ou de dar educação religiosa para os filhos, e muitas vezes assistimos situações como essa na qual presenciei uma senhora de 92 anos contando que precisou ensinar seu bisneto a orar, quando com medo, ele disse ver pessoas que não são visíveis para os outros.
Seu bisneto é bem jovem, 16 anos, mas por incrível que pareça, o medo era tanto que ele  achou boa idéia orar.
-Mas perguntou : - Como orar?
-Reze o Pai Nosso!
-Mas eu não sei.
- Então eu te ensino.
São extremos de uma situação que persegue há muito o ser humano.
Hoje não temos a obrigatoriedade da religião imposta, mas também não temos conhecimento algum das coisas que transcendem a matéria.
Diria alguns : - Falta de religião!
Falta de educação para a religiosidade.
Pois há grande diferença entre religião e religiosidade
A religiosidade é sensibilidade. È a condição psíquica do homem  se religar ao Criador,através da Natureza,do Cosmo,Universo,com o outro,consigo próprio.
È encontrar a essência divina que habita seu ser.
È não sufocar o impulso para o infinito que jaz em nós através da consciência divina.
È estar em sintonia com a Lei Natural, através da pratica do amor.
A religião é um sistema de crenças e dogmas. É instituição, acordo social, edifício teórico, organização hierárquica, atividade política.
Ela pode ser uma escolha e um caminho para a religiosidade, um meio para a pessoa entrar em contato com a Divindade.E acaba sendo importante na medida em que facilita essa ligação.Mas religiosidade é a tendência natural do individuo que traz em sua genética espiritual a paternidade divina . È intuição!
Herculano Pires esclarece que esse sentimento se estrutura na consciência humana no ser em evolução, sendo que a marca de Deus ali está presente na Lei de Adoração, que é o sentimento inato de sua filiação Divina e se manifestará no sentimento religioso, base de todas as experiências religiosas da Humanidade
 A vivência religiosa, pelo simples fato de ser vivência e não reflexão é inerente ao Homem desde o seu aparecimento no Planeta”. A experiência de Deus que começa no “Fiat” como elemento ontogenético (elemento constitutivo da própria gênese do homem) difere da religiosa, que constituem uma tomada de tentativa de consciência de Deus através de formulações religiosas, rituais, Instituições, sistemas litúrgicos, ordenações dogmáticas. “
O que não podemos jamais esquecer é que o sentimento de "religiosidade" não deve se afastar da prática na vida do homem, pois se isso acontecer, ele perde a noção de quem é, do que está fazendo aqui e todos os seus valores desaparecem com seus atos, tornando-o “des-Humano".
 Situar-se como ser humano perante o mundo é adequar-se ao amor e respeito, que vige em toda obra da Criação e conseqüentemente todos os seres que a habitam, pois eles se sintonizam, refletem, buscando similitude para integração e harmonia.
È sensibilizar –se paulatinamente para a convivência com o outro . Para os limites que nos detém, que devemos respeitar, e que nos  disciplinam.Juntamente com os direitos pelos quais lutamos, para nos sentir livres e seguros.
Tudo isso está implícito no processo de Educação, ou auto educação do ser humano. Nas experiências e vivencias da religiosidade.
-Ora, porque será que estou vendo espíritos?
È então  estabelecida a necessidade de auto descobrimento, auto conhecimento,auto educação. Você questiona, busca caminhos, mas tem de percorre-lo para provar sua veracidade.
Por vezes,somos observadores das demonstrações das Leis Naturais que regem o Universo e não despertamos para isso.
São os “sinais de Deus”como Meimei nos fala.È o homem ante sua necessidade de espiritualização.
Precisamos orar para deixar de ver aquilo que é inexorável ?  Sejam os espíritos ou a sensibilidade de intuir sobre as vidas sucessivas.
Não deixemos por conta do sofrimento e da dor o despertamento que se faz necessário.Utilizemos o tempo da presente reencarnação a nosso favor.
Eduquemos nossos sentimentos modificando nossas ações .
Afinal qual a religião do Cristo?
O sentimento de amor, fraternidade , solicitude entre todos os homem.