Translate

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Viajores da Eternidade

Normalmente olhamos para o passado com olhares saudosos dos ingênuos e bons momentos vividos em nossa infância.

Ficamos com um sorriso nos lábios quando nos lembramos da audácia e rebeldia da juventude.

Tomamos uma respiração profunda, quando nos lembramos que já atingimos a maturidade em suas preocupações e responsabilidades.

E nos sentimos surpresos, observando a velhice que nos espreita a frente.

Como tudo passa rápido! Como o tempo corre célere !

Olhando-nos assim na inexorável linha do tempo, percebemos o quanto já vivemos, o quanto já experenciamos as questões da vida, e nos perguntamos:

-Será que atingimos as expectativas programadas para nossa atual reencarnação?

-Será que resta tempo suficiente para modificarmos algumas coisas?

-Fizemos tudo que podíamos? Fomos perseverantes o bastante,sem desistir de nada ?

-Devemos ainda insistir, construindo e reconstruindo, até o ultimo instante?

-Ou grande parte de nossa vida já foi vivida e agora devemos apenas usufrui-la?

Afinal ,o que passou,passou,não há tempo no presente momento para se voltar atrás.

No Espiritismo aprendemos que: - A categoria do planeta por nós habitado, é de expiação e provas;então estamos aqui como aprendizes em escolas,ou doentes em recuperação.

Não estamos em férias ou ao nosso bel prazer.

Através de leis sabias e amorosas de Deus, iniciamos esta viagem planetária, planejada e preparada para que o espírito imortal aprenda a ciência do bem viver no longo aprendizado do que é o amor.

Nos dizem os espíritos que por mais difícil ela seja, nenhum de nós terá aqui aportado em vão.
Por mais que errarmos, levaremos sempre um aprendizado que será útil, pois o espírito pode permanecer estacionário mas nunca retrograda. “ De um mal pode se tirar um bem “

Recomeçar então, é palavra de ordem para o espírito imortal.

Aproveitando o tempo ao nosso dispor,utilizando-o como recurso, recomeço.

Por isso quando fizermos uma analise sobre nossas vidas,é importante não termos um olhar perfeccionista sobre nós mesmos, pois evolução não dá saltos.

Em nossa análise e reflexão sobre as experiências vividas até então; não devemos nos fixar apenas nas conquistas propostas e efetuadas.

Aprendamos a valorizar as contingências da própria luta.

As forças propostas, exudadas e exauridas para chegar até lá,mesmo não nos considerando vencedores.

Quantas vezes nos programamos para um empreendimento e não conseguimos dar-lhe execução.apesar de todo esforço.

Conheço inúmeras mães que perderam seus filhos para a droga, apesar de todo empenho com que foram a luta .

Será que tudo foi em vão? E o esforço realizado? Não houve aprendizado?

Quando olharmos para traz, precisamos não somente ver a vitória, mas o esforço desprendido na luta para alcançá-la.

Qual o móvel de nossa intenção, de nossa ação?

Quais os meios empregados ? Demos tudo de nós?

Tínhamos entendimento sobre a realidade da situação?

Empregamos todas as forças disponíveis, existentes no presente momento.

Percebemos nossos limites, mais também nosso potencial.

Nossa hesitação,mas também nossa vontade. Nossa incredulidade, e nossa fé.

Talvez assim possamos perceber que efetuou-se um esforço dentro das perspectivas no nosso nível de evolução.

Isso é auto conhecimento,só possível naquele que pensa, age,reflete, se dispondo à luta.
E num plano de compreensão maior, de auto respeito, tendo melhores condições de retomar uma caminhada.

Afinal  força do espírito é diferente do espírito de força

Assim nos avaliaremos melhor, percebendo-nos por inteiro, em conteúdo e essência espiritual.

Quando viajamos ou caminhamos numa estrada a validade do contexto ( ou seja da viagem) está desde que a iniciamos e não em apenas termos chegado lá.

Espíritos existem que aqui estão como missionários ; ou seja existe uma programação que os elege a exemplificar um trabalho de amor para o bem estar comum

Esses já estão dentro de um plano de amor incondicional, ante a humanidade.

Como exemplo temos : - Chico Xavier, Tereza de Calcutá,Francisco de Assis

Outros espíritos assim como nós, estamos num plano de aprendizado do amor recíproco, do conviver,da troca e compartilhamento.Num circulo menor assim como a família,a sociedade.e conosco mesmo.Por isso todo e qualquer esforço é sumamente importante.

Humildade talvez seja essa condição de ver-se por inteiro, em virtudes e imperfeições.

Mas estando integro no objetivo a ser alcançado.

No Espiritismo dizemos que se conhece o espírita pelo esforço que realiza buscando ser melhor.

Caminhemos enquanto é dia como Jesus nos fala.

Aproveitemos a generosidade do dia para alcançarmos a luz.

Utilizemos todos os recursos de que dispomos para crescer.

Jamais desdenhando a posição em que nos encontramos,mas valorizando-a através de todos os meios ao nosso alcance afim de que nosso esforço seja fonte de bênçãos para nós e para outros no circulo de aprendizado em que nos situamos.

Contemplemos assim a criança,o jovem,o adulto, o ancião como viajores da eternidade, tendo como talismã o tempo num plano de amor e generosidade de Deus nosso Pai através das leis sabias da reencarnação.

domingo, 3 de abril de 2011

Fé do Tamanho de um grão de Mostarda

Invasores da privacidade, acabam se tornando muitas vezes, as pessoas que tentam como investigadores, questionar a fé alheia sobre assuntos que envolvem religião.

Você acredita mesmo em espíritos, na reencarnação?

Sim acredito!

Então prove para mim que isso existe mesmo !

Tolo ou ingênuo aquele que quiser resolver a questão da descrença alheia ,acreditando que simples palavras num momento qualquer bastam para isso.


Como se a fé fosse obtida através de um jogo de convencimento!

Palavras não bastam com certeza pois a fé vêm de encontro ao coração que a anseia, e  busca como lenitivo para suas dores, e necessidades.

Aprendizado,ante os problemas aparentemente insolúveis que o homem encontra pelo caminho,onde não basta os recursos de sua formação,e inteligência. È preciso algo mais; principalmente quando a angustia e o desânimo lhe fazem sofrer.
Talvez seja esse o momento de encontrar a fé!

Diriam alguns:  - Para descobrir a fé precisamos de sofrimento e dor ?

Não necessariamente, pois a fé é um despertar de forças maiores em nosso coração,mas aqui neste planeta Terra, onde o homem vive intensamente a matéria, o coração fica endurecido em seus sentimentos e emoções,e ele acaba vivendo na superfície daquilo que chamamos vida.
Nos momentos dificeis ou de dor há uma maior sensibilização do individuo.

Nos momentos de crise, ele se volta para si mesmo, buscando na interioridade os recursos que inconscientemente abriga.

È como se fosse a volta do filho pródigo.retornando ao caminho da casa do Pai.
Pois só buscando a interiorização, ou o mundo intimo de nós mesmos podemos iniciar o movimento da fé.

Dentro de cada um de nós existe a centelha divina,colocada por Deus, para que possamos paulatinamente faze-la surgir em nossas vidas como os recursos correspondestes da fé.

Essa força é inerente a todo ser humano e quando acionada faz com que ele possa mover as montanhas da angustia,do desespero,do desamor.

Jesus dizia : - "Vim para que tenhais vida e vida em abundancia".

Isso significa não só a vida material a qual já conhecemos,mas a verdadeira vida,que é espiritual, ainda tão distante de nós.

Quando conseguirmos viver o espírito na matéria,com todas as injunções, que isso agrega ,ai estaremos em sintonia com os desígnios de Deus.

A fé não pode ser imposta,ou doada,ela é conquista própria, vivencia pratica no campo da espiritualidade.

Por isso quando estivermos buscando a espiritualização, trabalhando em nosso intimo as questões que a envolve, passando pelo crivo do bom senso,do amor da razão,dentro dos padrões estabelecidos pelas leis de Deus,através de Jesus,com certeza estaremos buscando viver a vida através da fé viva.

Jesus dizia que se tivéssemos a fé do tamanho de um grão de mostarda, diríamos a uma montanha que saísse de cá para lá e ela se moveria.

A semente de mostarda é a menor semente que se conhece.Isso dá para imaginar a potencia dessa “força divina” em nós

Somente quando aprendermos a superar uma situação ,um problema através da fé e das mãos no trabalho, poderemos dizer ter experenciado a fé.

Crer em Deus, na existência de que forças maiores regem nossas vidas, e de que é preciso aciona-las através da vontade e do trabalho,acreditando em nós mesmos, é vivencia-la integralmente.

Existir, resistir, construir, através da fé, é vivencia pratica no caminho de todo aprendiz.

Se você quer aprender sobre uma religião; por exemplo o Espiritismo busque nas escolas das Casas Espíritas as respostas as suas perguntas,sejam sobre os espiritos ou a reencarnação.
Lá não fazemos proselitismo mas buscamos no aprendizado da fé raciocinada,as Leis de Deus,através dos ensinamentos de Jesus .

Se você quer saber sobre religiosidade e fé, busque um coração que a demonstre exemplificando um esforço constante para melhorar-se,aprendendo amar a Deus, ao próximo e a si mesmo, superando os obstáculos do desânimo e do desamor.