Translate

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Sintonia e Afinidade


Na obra básica da *Codificação, os espíritos asseveram que o homem é um ser essencialmente social,ou seja; - necessita da convivência em conjunto em sua trajetória rumo a evolução.

O uso da palavra e outras faculdades demonstram a importância da vida de relação.

Pela relação social complementam-se uns aos outros, assegurando seu bem estar e progresso.

Forma-se assim a família, a sociedade,a humanidade neste grande contexto de aprendizado que se chama planeta Terra.

Nesta sociedade, onde vamos aprendendo uns com os outros a vida de relação através dos diferenciados comportamentos, desenvolve-se também paulatinamente as emoções e sentimentos que vinculam os seres uns aos outros.

Laços e vínculos vão perpetrando-se e perpetuando-se indefinidamente através da Lei da Reencarnação, na longa espera do tempo, até que o ser humano atinja o ápice, a culminância da evolução através do amor.

Enquanto aguardamos esse acontecimento através da bruma dos tempos, vamos na dinâmica da Lei de Sintonia e da Lei de Afinidades gerando material contextualizado do aprendizado preterido.

Assim formam-se grupos afins, para o amor ou para a dor nas afinidades de propósitos e tendências adquiridas . Seja no plano físico ou espiritual.

Cada qual num nível de evolução a buscar '"plug" de ligação, determinando libertação ou aprisionamento de conformidade com a Lei de Causa e Efeito, juntamente com o livre arbítrio.

Pensamento é vida ! A onda mental leva o pensamento carreando as vibrações dos sentimentos até encontrar assimilação no campo da sintonia.

Depois pela Lei de Causa e Efeito retorna ao seu emissor acrescido dos valores referentes àquele que o recepcionou.

Através da permuta freqüente e constante, cria-se vínculos geradores de desequilíbrios emocionais,mentais,físicos quando se sustentam no desamor,na violência nas paixões.

Assim estejamos atentos ao que pensamos, e o que acontece ao nosso derredor, ou seja no reflexo da luz que estamos emitindo ou omitindo ao caminhar desta vida.

Não basta não fazer o mal. È preciso fazer o bem !

Quando as situações ficam difíceis, procuramos sempre alguém que esteja dificultando as coisas para nós.

Dizemos estar com azar, que estão com inveja, ou que Deus nos abandonou, pois afinal nada fizemos  para merecer isso.

Esquecendo-nos de perceber que somos seres atuantes no campo da energia mental, as vezes mais ativos do que na vida física, intermediando trocas de energias distonantes.

“Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda "

Influenciamos e somos influenciáveis mesmo que inconscientemente.

Desbobra-se a vida em correntes de fluxo e refluxo.

As forças que hoje se exteriorizam de nossa atividade, voltarão ao centro de nossa atividade amanhã.
Busquemos em nós o ponto distonante.

Talvez a solidão que queiramos esconder.A magoa de quem nos rejeita. O sentimento de culpa pela incapacidade de amar a quem deveríamos e não conseguimos (família).

O medo e a insegurança que sentimos de não sermos aceitos e amados por todos.

As expectativas não atingidas,o desejo de ser melhor e não conseguir.

Isso faz parte de nossas limitações. mas faz parte de nossas potencialidades também.

Precisamos nos conscientizar,utilizando o auto conhecimento pois ele ajudará a nos libertar,vendo-nos tal qual somos; - imperfeitos mas em vias de perfeição.

Mudanças são necessárias e devem começar no direcionamento dos pensamentos.

A fé raciocinada através do Espiritismo é recurso abundante.

Deixemos a massa levedar,não no desespero e agonia, mas no amor e na esperança,preenchendo o coração,o pensamento e a alma naquilo que é essencial .

Aceitando as sugestões do bem praticando-as intensamente por intermédio de nossas ações.



*Codificação Espirita - conjunto das obras basiscas ditadas pela espiritualidade aos médiuns e codificadas por Kardec,ou seja compiladas,pesquisadas e organizadas por ele.

Um comentário:

  1. Muito bom ... sempre nos achamos protagonistas de nossas vitórias mas quando o assunto é "passar por dificuldades" nos achamos sempre coadjuvantes ou melhor, vítimas. Temos que assumir as rédeas de nossas vidas, assumindo as nossas responsabilidades ...

    ResponderExcluir