Translate

quarta-feira, 3 de abril de 2013

"Dar a outra face " - Maturidade e Força Interior


Somente aquele que é possuidor de generosidade pode “dar a outra face”,como Jesus nos ensina.
Para tanto precisamos ter superado as artimanhas do verniz social,dos discursos e crenças que permanecem na superfície do ser.
Para realizar esse intento precisamos ver o ser humano na sua real condição; com acertos desacertos sabendo dos sofrimentos e dores que movem as criaturas cuja essência é divina.
Aceitando-a, não julgando mas buscando atingir o “eu profundo” ou seja sua interioridade.
Precisamos estar despidos dos preconceitos, do orgulho, da vaidade, alicerçando o sentimento por excelência.
Daí a necessidade de auto-superação,do exercício proposto por Jesus,de dar outra face.
Porque tu me golpeias? Se fiz algo errado corrigi-me.
Essa é a fala de Jesus ao soldado que lhe golpeou a face.
Humilhação? Não !
Generosidade da alma de um Mestre que ao inquirir, faz despertar maneiras outras de agir e pensar.
Filosofias, filósofos, trabalharam o pensamento humano.
Mas Jesus trabalha os sentimentos, as emoções profundas do ser,direcionando-as ao amor.
Esse é o despertar de Deus em nós.
"Dar a outra face", nos motiva a sair do círculo pesado de nós mesmos encarando sem medo a generosidade, expressando a humildade, sem que isto nos desnude, ou soframos alguma perda.
A sensação de auto superação é libertadora. Mesmo que momentânea e não definitiva como deveria ser.
Para o outro ou seja; para aquele cuja nova face é oferecida é surpreendente.
O primeiro sente-se forte, firme como se uma autoridade moral o envolvesse.
Sente uma sensação de libertação emocional.
Para o segundo causa surpresa, pois as criaturas já estão acostumadas por incrível que pareça responder a tais situações articuladas que estão para responder as agressões, e quando isso ocorre ficam sem ação,às vezes paralisadas, surpreendidas.
Dar a outra face nos posiciona na necessidade de educação, de aferir os valores que Jesus nos ensina.De ajustar as muitas personas que vivemos,buscando extrair as realidades do espírito eterno.
È difícil ? - Com certeza!
È impossível ? Não,com certeza!
Então deixemos-nos alumiar pelo luz que a pedagogia do Mestre derrama sobre nós,diluindo personalismos que nos entristece e adoece.
Só podemos ver o bem no outro quando ele estiver em nós mesmos.
Só conseguiremos ver nós mesmos se deixarmos cair as máscaras ao dar a outra face.
Dizem os espíritos que ao desencarnarmos não há castigos ou punições, simplesmente espelhamos nossa consciência.
Queira Deus que nesse momento já tenhamos internalizado a generosidade a humildade  de “dar a outra face” podendo olhar no espelho de nós mesmos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário