Sejamos tutores de nós mesmos

Resultado de imagem para voce abraçando voce mesma
Vivemos na infância da vida espiritual,
 Habitamos um planeta de expiação e provas o que não deixa duvida sobre nosso nível de evolução.
Ainda há muito a fazer e construir no campo moral e intelectual.
A consciência do amor que representa o estagia de evolução em desenvolvimento, ainda é fator de lutas acerbas.
Nossa vida de relação ainda prescinde imensamente do desenvolvimento estrutural do afeto. O reflexo disso é a indiferença, o despotismo, o egocentrismo avassalador que ainda persiste no ser humano. Isso extravasa no campo social e familiar, gerando desagregação, viciamentos, violência e dor.
No campo religioso vivemos durante muito tempo a expensas de uma fé dogmática e mística onde a razão e a ciência inexistiam propiciando uma fé cega e forçosamente as expensas de seus representantes.
Vivenciamos a fé de maneira arbitraria e utilizamos os bens da matéria nas questões espirituais através da compra de indulgências, eximindo o homem de suas escolhas e consequentes responsabilidades.
Chamados pecadores no passado pela igreja constituída, mesmo depois da  reforma protestante continuamos com esse adágio que nos remete a miserabilidade absoluta.
No entanto durante esses séculos todos fomos chamados “filhos de Deus”
“Ninguém contesta que o homem na condição de aluno em crescimento espiritual tem errado em todos os tempos; ninguém ignora que o crime obceca muitas vezes o pensamento das criaturas terrestres; entretanto é indispensável restabelecer a Verdade Essencial”.( Emmanuel ) 
Vinha de Luz 120
Com diz Paulo:
- “E se nós somos filhos, somos herdeiros de Deus também, herdeiros de Deus e coerdeiros do Cristo. ( Romanos 8:17: )”. Idem anterior
Precisamos mudar o contexto de crenças em que nos encontramos.
Quando se constrói um projeto, por exemplo, uma casa você sabe o material ali colocado, sabe se a estrutura é sólida ou não.
Se for possível habita-la, ou corre riscos quem se aventurar.
Da mesma forma o Pai para conosco. Somos a obra máxima da Criação.
Se fossemos seres desventurados e inúteis qual o objetivo de aqui estarmos.
Se estivéssemos irremediavelmente perdidos ligados à dor e ao sofrimento porque tanta paciência do Céu para conosco.
Como diz Emmanuel:
 - Somos herdeiros da glória Celestial de Deus nosso Pai.
Se nós é fadada a perfeição; perfeição significa amor, justiça absoluta, alegria, felicidade. Então o determinismo da Lei é a felicidade.
O imperativo da perfeição existe, porem exige que nos eduquemos convenientemente para sermos merecedores dessa herança divina. Precisamos acreditar no alto como o alto acredita em nós, deixando a condição de crianças espirituais, assumindo a condição de tutores de nós mesmos.

Pão nosso -nº 120 pág 253




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A cada um segundo sua obra - A Determinação

O Sono E a Mediunidade

"Aquele que tem olhos de ver que veja,aqueles que tem ouvidos de ouvir que ouça"