Translate

domingo, 14 de julho de 2013

O livro Espírita


A prática da Leitura é uma atividade de assimilação de conhecimentos . Para efetuá-la precisamos nos interiorizar e refletir sobre seus conteúdos, o que nos faz adentrar a um mundo de descobertas.
O livro e a leitura têm  importância fundamental  na vida da criatura, que aferindo os valores intrínsecos, sedimenta-os, e desenvolve-os através da troca de informações.
A Literatura Espirita abrange a edição de romances, poesias,dramaturgias,contos e publicações em periódicos,visando a disseminação dos ideais espíritas, com o objetivo de estimular os leitores a cultivarem os ensinamentos morais e espirituais contidos nestas obras.Normalmente os livros são psicografados ,quer dizer,produzidos pelos espíritos através do médium,que transpõe para o papel as informações transmitidas mentalmente  pelos seres desencarnados.
Paulatinamente vamos entrando em contato com essa gama imensa de livros cujo objetivo além de enriquecer nossa mente , dá suporte as dores emocionais, dentro de uma concepção nova de vida.
Lembro-me que meu primeiro livro espírita foi o “Livro dos Espíritos”.
Li freneticamente, me assustando com a facilidade de entendimento, encontrando nas perguntas e respostas que o compõe, o que há muito buscava. E outras que eu intuía, mas que não conseguia traduzir pra mim mesma . Era como ter reencontrado velho amigo, dizendo-me de onde vim, para onde vou,porque aqui estou.
Li as obras básicas sempre com a mesmo entusiasmo, e ainda hoje elas me surpreendem, pois quanto mais experiente,compreendo melhor seus conteúdos.
Depois foram as obras complementares.André Luiz, Emmanuel, através da psicografia  de Francisco Candido Xavier.
“Nosso Lar”  foi uma emoção, assim como a série toda que o precede, “Voltei”, “Cartas de uma Morta” , e tantos outros.
No Evangelho no Lar, líamos o “Evangelho Segundo o Espiritismo”, e os livros de mensagens de Emmanuel. Mas quando vieram as crianças e elas já tinham algum entendimento, líamos o livro colorido e cheio de imagens “Pai Nosso” de Meimei. Quantos encantos esse livro nos trouxe . 
Primeiro lemos as historias com seus comentários.Depois utilizávamos as figuras fazendo novas histórias que enriqueceram a infância de minhas filhas.No livro de  Meimei,cada flor,cada inseto, cada plantinha encontra uma utilidade providencial na Natureza,cuja criação é Divina.
Amélia Rodrigues que relata as histórias do Evangelho embalou toda gestação de minha filha mais nova.Era nosso momento! Momento de emoção, ternura pura, pois eu lia em voz alta, para ela em espírito.
Li o livro "Paulo e Estevão" repetidamente. Ao todo foram seis vezes.
Sentia um alento enorme ao lê-lo. Ele dava-me forças para superar as dificuldades.
Ivone A. Pereira falou-me de mediunidade, e do médium, principalmente em sua característica de desdobramento.Ensinou-me sobre o suicídio e suicidas, e do esforço necessário para o trabalho mediúnico de provas.
Joana D’Angelis através de Divaldo Pereira Franco, com sua refinada intelectualidade, com requintes de ternura e brandura, ilustraram meus pensamentos e emoções.
Jose Herculano Pires fazia-me indagar, conjecturar, buscar,pesquisar.
Rino Curti ajudou-me a ser útil ministrando  o conhecimento adquirido de forma pedagógica nas aulas e cursos para outras pessoas. Isso ajudou-me  a a ter confiança pois como diz Dr. Adão Donato: -  “só aferimos nosso conhecimento quando ensinamos.”
Leon Denis ( o poeta do espiritismo ) trouxe reflexões profundos,que  poetizaram meus pensamentos.
Os livros de Pedro de Camargo ( Vinicius) mostraram-me a importância da Educação Espírita,e a necessidade de uma Pedagogia Espírita assim como Heloisa e Herculano Pires. 
Marlene Nobre, Nubor Facure, Hernani Guimarães,Suely  Caldas Schubert são escritores que ilustram com suas pesquisas a parte cientifica da Doutrina assim como tantos outros.E  Ermance Dufont restabelece pontes entre o ontem e o hoje ensinando-nos a não nos perdermos no caminho.
O bom senso e a lógica dos livros codificados por Allan Kardec, aliada as lições de amor dos livros e dos exemplos de vida de Chico Xavier corrobora para a harmonia da emoção e do pensamento da criatura que busca espiritualizar-se.Pois sabemos que tudo nos é licito, mas nem tudo nos convém.
Que sementeira preciosa se permitirmos que ela cresça na terra fértil de nossos corações. Tirando duvidas, mudando atitudes, fortalecendo a fé e os bons propósitos. Fazendo florescer o consolo e a esperança.
Deixando um  cheiro bom de relva molhada pelo orvalho da noite, que nos colocam na realidade do dia que está nascendo; com o sol da esperança marcando presença em nossas vidas.



Paulo Freire (1993, p.20) ressalta que:  - “a leitura de mundo precede sempre a leitura da palavra e a leitura desta implica a continuidade da leitura daquele. A leitura da palavra não é apenas precedida pela leitura do mundo, mas por uma certa forma de “escrevê-lo ou de reescrevê-lo, quer dizer, de transformá-lo através de nossa prática consciente”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário