Translate

domingo, 6 de outubro de 2013

" Deixai vir a mim os pequeninos " A Criança Interior


Pó de pirlim pimpim é muito bom. É fantástico !
Leve,brilhante, delicado,de uma rapidez incrível a tudo transforma,
Que bom poder possui-lo.Ele é pura mágica !
Como consegui-lo ?
Talvez fazendo-nos crianças novamente.
Quando se é criança tudo é possível, sem limites.
Como diz uma menininha que conheço:
- Eu conchigo vovó.Eu conchigo! Tal o nível de possibilidades que possui.
Nós adultos deveríamos ter essa confiança em nós mesmos.Afinal a criança confiante vive em nossa interioridade
Mas eu diria: - O que temos feito dela ultimamente.?
Estamos tratando-a bem? Com respeito e amor.?
Criança adora passear,brincar,comer guloseimas,roupas coloridas, manhãs de sol.
Água, ela adora água.! Esguicho de mangueira, baldinhos, praia, piscinas.
Amiguinhos,muitos amiguinhos. Sorrisos,gritinhos,risadas altas,barulhos.
Brinquedos.Coisas que viram brinquedos. E jogos inventados na hora,desde que possa ser vencedora.Adora ganhar beijinhos,abraços,afagos. Principalmente quando machuca o dedinho.
Assopros com o ar da boca da mamãe, que como remedinho cura a mãozinha que foi colocada aonde não devia.



Ai pó de pirlim pim pim !
Estou precisando agora.
Preciso voltar a acreditar
No ser humano como outrora

Preciso acreditar que estou imune
Ao vírus da agressão que vive por ai.
Que sorrateiro nos espreita e de repente:
 - Nhoc ! -  Morde nosso coração,

Deixando uma ferida.
Que sem querer damos guarida
Precisando de costura
Pois ficou uma rasgadura.

Fios de esperança, numa agulha de perdão.
Fazendo uma costura
Com a cor vermelha 
Cor do coração.

Sem os esguichos que os olhos traz,
Sempre em frente sem parar jamais
Sem dores,sem dizer ais.
 










Afinal tenho em mim
Uma criança corajosa
Brava destemida 
Muito amorosa.

Agressão faz parte dos corações
Que estão sempre doridos
Magoam, pelo orgulho empedernido

Não aceitam amores de outrem não
Pois retribui-los
É como estar na prisão

Vivem a fazer machucaduras
Pois estão sempre as turras
É seu modo de dizer "não"





Para elas amar é submeter-se
Sentir-se frágil
Por isso escolhem
Palavras duras que saem tão fácil

Ferem a quem ouve
Ferem qualquer coração
Que tem bom senso e lhes dizem não






Não ao desrespeito
Não ao desamor
Pois já viveram muito
E sabem sobre o amor


Amor é importante
Amor é que satisfaz
Sem amor tudo fica estanque
Não há tempo de paz

Por isso preciso de pó de pirlim pimpim
Pra tudo voltar como era
Renovando essa criança 
Dentro de mim

Que ela traga a paz de repente
E que eu crente
Volte a acreditar 
No ser humano novamente
                                                                                                                               

Nenhum comentário:

Postar um comentário