Translate

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Basta a cada dia sua aflição



-Estou atrasado...Estou atrasado...
Dizia o coelho de relógio nas mãos, na história de Alice no País das Maravilhas.
- Que horas são... Quantos minutos já passaram...  Está na hora ?...
Assim falam muitas pessoas, de olhar sempre no relógio. 
Andar rápido. Alguns empurrões. E lá vão elas tentando cumprir prazos e horários.
É mais ou menos assim que grande parte da população se comporta no dia de hoje frente aos inúmeros compromissos assumidos, e que devem ser solucionados num curto espaço de tempo.
Às vezes me pergunto se realmente o progresso que esperávamos valeu a pena, já que é quase impossível vivermos no aperto do tempo que transformamos nossa vida, frente a tantos afazeres.
Utilizamos a tecnologia para termos mais tempo.E o que estamos fazendo do tempo excedente ?
-Mas se houvesse mais algumas horas eu teria mais alguns compromissos diriam alguns, mergulhado no mundo de seus interesses.
Eu me pergunto: - O tempo é curto ou nós estamos assumindo compromissos em demasia.
Inatividade é ruim, mas atividade em excesso também.
Será que estamos realmente priorizando o que é importante?
Será que não estamos fazendo tudo de uma só vez?
Será que estamos só vendo a quantidade e não a qualidade dos afazeres?
E nossa vida de relação como fica?
Acho que mal amados e mau amantes!
Algumas pesquisas indicam que 30% de brasileiros estão com a "síndrome da pressa". Depois de convivermos com a  “síndrome do pânico” a qual nem digerimos ainda, só nos resta agora a “síndrome da pressa”.
Apesar de não ser reconhecida pela psiquiatria, a “síndrome da pressa” é estudada desde 1980.
Segundo estudo realizado pelo Internacional Stress Management Association do Brasil (Isma- BR) entidade que estuda os efeitos do stresse; o transtorno já atinge cerca de 30% dos brasileiros.
Ela não constitui uma doença, mas uma série de comportamentos que altera significativamente a saúde e a qualidade de vida dos indivíduos.
Outro dia uma senhora passou mal porque teve de esperar uma fila para pagar um carnet, tamanha ansiedade e stresse que sentiu.
Outros andam com passo tão acelerado que acabam atropelando quem tem um andar mais lento que o seu.Até subindo uma escada presenciei um atropelamento, pois a pessoa não esperando o elevador desceu tão rápido que trombou com quem vinha subindo.Se não fosse trágico seria cômico como costumamos falar.
As pessoas que sofrem desse transtorno vivem literalmente com pressa, ou seja, não sentem ansiedade apenas em contextos específicos, como antes de uma reunião importante.
“A pressa do dia a dia é pontual, direcionada para um momento. Já a síndrome acompanha o individuo nas 24 horas. Ele acredita que é pouco tempo para dar conta de suas demandas, acumula cada vez funções e se sente culpado se não faz mais coisas”, explica a psicóloga *Katie Almondes.
- Não consigo diminuir o ritmo.Sinto-me mal se ficar parada. E me irrito com quem é lerdo ou quando demoro muito para terminar alguma coisa, são os dizeres de quem tem pressa.
Tensão, hostilidade, impaciência, ansiedade, sono agitado, inadmissão a atrasos, problemas de memorização e interrupção da fala de terceiros, são sinais pertinentes à síndrome da pressa.Muito comum nos dias de hoje, mas que contradiz os cuidados que devemos ter para conosco em nossa vida.
Desacelera companheiro...desacelera...
Nós não estamos no Grand Prix.
Nem sempre o mais rápido é o melhor.Às vezes nossa cultura diz isso, questionando a lerdeza como insuficiência ou incapacidade, mas isso não é real.
Atitude pausada bem arrazoada e segura, não significa exatamente tédio ou lentidão. A pressa faz-nos passar de leve pelas coisas sem amealharmos os conteúdos, sem entendimento, ou aprofundamento. As decisões importantes não devem ser tomadas de afogadilho, impulsivamente todos sabemos.
Às vezes perdemos a oportunidade de usufruirmos um momento tão esperado por nós.
Precisamos encontrar um meio termo entre o rápido e o lento.
Às vezes as circunstancias nos impõe um certo aceleramento, como cuidar de doentes, de crianças, mas isso não significa que não possamos usufruir momentos de paz e calma.
Precisamos estar atentos para recuperar nosso ritmo de vida, nos conectar com nossa essência.
Meimei nos diz que a “simplicidade” é recurso de grande valia
Acalmemos nossos pensamentos nossas emoções; não rendamos culto a quem não nos faz melhor.
Ouçamos uma boa musica façamos a leitura de um bom livro cultive a meditação, a prece tudo isso é recurso infalível para harmonização de nós mesmos.Precisamos reavaliar os reais valores de vida, e com determinação mudarmos comportamentos e atitudes.Estamos aqui reencarnados para usufruirmos cada instante de nossa vida naquilo que toque a profundidade de nosso ser, trazendo a tona o melhor de nós mesmos, e isso não precisa de correria desenfreada, afinal a evolução não dá saltos, mas se faz paulatinamente, com trabalho, serenidade e constância.
- "Basta a cada dia sua aflição "dizia Jesus.
Vivamos um dia de cada vez,na plenitude que ele nos proporciona.
“Na vida há algo mais do que incrementar nossa velocidade” 
(Mahatma Gandhi)       

*Prof. Dra. Katie Almondes
Psicóloga 
Prof. Adjunta do Departamento de Psicologia/UFRN
Orientadora do programa de Pós-Graduação em Psicologia


**Atualmente, a ISMA está representada em 12 países: Alemanha, Austrália, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Hong Kong, Índia, Inglaterra, Japão, Rússia e, mais recentemente, Brasil, sendo a mais antiga associação para o gerenciamento do stress e ainda a única com caráter internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário